Oprah Winfrey e Discovery vão lançar rede de TV a cabo

A apresentadora norte-americana OprahWinfrey, "a rainha do talk show", vai criar uma rede de TV acabo junto da Discovery Communications e disse que em breve vaiestudar o futuro de seu programa diário na televisão, que temaltíssima audiência e fez dela um nome amplamente conhecido. O contrato de distribuição exclusiva de Oprah para o "TheOprah Winfrey Show" chegará ao fim em maio de 2011, mas existea opção de pôr fim a ele já em 2010, o que significa que seudestino provavelmente será discutido ainda este ano, disse elana terça. "O programa terá que acabar algum dia", afirmou Oprah emteleconferência em que anunciou o contrato com a Discovery."Isso poder acontecer em 2011 ou depois disso." O pacto com a Discovery representa uma grande ampliação dodomínio de Oprah na mídia, que inclui longas-metragens, arevista "O, The Oprah Magazine", um programa de rádio viasatélite e um Web site. "OWN: The Oprah Winfrey Network" vai pertencerconjuntamente à Harpo Productions, de Oprah, e à Discovery, e,segundo as duas empresas, será dedicada a inspirar ostelespectadores "a viver a melhor vida." A rede vai estrear em 2009 em mais de 70 milhões deresidências americanas, ocupando o que é hoje o canal DiscoveryHealth. "Quinze anos atrás eu escrevi em meu diário que algum diaeu criaria uma rede de TV, já que sempre achei que meu programaseria apenas o início do que o futuro poderia reservar",afirmou. A apresentadora será presidente da OWN e exercerá controleeditorial pleno sobre sua programação e sua marca. A Harpo vaiproduzir programas para a OWN e para outras emissoras também. Para a Discovery, o acordo representa o esforço maisrecente para fortalecer os nomes de marca de seus canais, emalguns casos convertendo-os em empreendimentos totalmentediferentes, antes da planejada oferta pública de ações daempresa, no segundo trimestre deste ano. A Discovery também vai lançar, no segundo semestre de 2008,a rede 24 horas Planet Green, dedicada a estilos de vidaecologicamente seguros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.