O universo feminino de Pedro Almodóvar

Volver. No Telecine Cult, às 22 horas. Reprise, colorido, [br]121 minutos

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2008 | 00h01

Pedro Almodóvar garante que jamais utilizou o cinema como terapia, mas reconhece que Volver o ajudou na vida pessoal. O motivo? "Volver, para mim, era retornar à minha infância a fim de poder me despedir dela", disse ele, em entrevista concedida ao jornalista francês Frédéric Strauss, cujo livro Conversas com Almodóvar (Jorge Zahar) chega esta semana às livrarias.Trata-se, de fato, de um filme repleto de reminiscências. Conta a história de duas irmãs que precisam voltar à casa de uma velha tia que morreu, na Mancha (onde nasceu o diretor) e terminam confrontadas com o súbito aparecimento do fantasma da mãe.Como em outros filmes, Almodóvar trata com rara habilidade do universo feminino, ressaltando uma sensação de intensidade e mostrando como as mulheres aprenderam a guardar todo tipo de dor dentro delas mesmas. A morte da mãe, que ocorreu em época próxima, significou para o cineasta uma brutal consciência da passagem de tempo, visível especialmente no papel que marca a volta da adorável Carmen Maura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.