O universo country, no melhor Altman

Nashville. EUA, 1975. No Telecine Cult, às 22 horas. Reprise, colorido, 159 min

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

15 de dezembro de 2007 | 23h45

Em 1975, cinco anos após receber a Palma de Ouro por M.A.S.H., Robert Altman dirigiu aquele que terminou sendo seu maior filme e o parâmetro para todos os que realizou, a seguir. Nashville inaugurou o estilo de narrativa coral, em que o cineasta soltava a câmera entre diversos personagens (e que virou sua marca registrada).Altman fez outros bons filmes nesta linha, que foi uma lição que ele absorveu do Luís Buñuel em O Discreto Charme da Burguesia, em 1972. Mas Nashville é especial. O cenário, que une todas as tramas - e dá título ao filme -, é a capital da country music nos EUA, cujo palco é o sonho dos artistas dessa tendência musical.São várias histórias de gente perdida, ou querendo fazer sucesso, em Nashville. Todas convergem no desfecho para uma tentativa de assassinato político que lembra o de John Kennedy. Keith Carradine ganhou o Oscar pela canção I?m Easy e o elenco inclui Lily Tomlin, Karen Black, Geraldine Chaplin, Ned Beatty, Shelley Duvall, Keenan Wynn, Scott Glenn, Elliott Gould e Julie Christie, os dois últimos como eles próprios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.