O talento arrojado de Heath Ledger

Ator, que morreu em janeiro, faz um poeta drogado em Candy, triste história de amor

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2008 | 21h50

Quando chegou ao Festival de Berlim de 2007, Heath Ledger era apontado como favorito ao prêmio de melhor ator por seu trabalho em Candy. O filme, no entanto, não levou nada. Seria uma justa condecoração a Ledger, que morreu em janeiro deste ano.   No filme, agora lançado pela Califórnia, ele interpreta um poeta drogado, que envolve a namorada na sua viagem autodestrutiva. O tal "candy" do título tem um sentido dúbio, pois o rapaz se apaixona por dois tipos de "doces": uma garota chamada Candy e pela heroína, a droga. O início do filme é previsível, com o casal desfrutando as delícias de um relacionamento. Aos poucos, porém, a história passa a ser dominada por momentos sombrios e de profunda angústia, transformando-se em um triste relato de amor.   Foi uma ousadia para Ledger assumir tal papel, na mesma época em que também estrelava O Segredo de Brokeback Mountain. Tal despojamento para o radicalismo (não se pode esquecer que ele viveu, em seu último papel completo, o sinistro Coringa no próximo Batman) o tornava um dos atores mais arrojados e talentosos da atual safra jovem de Hollywood. Deixa, assim, como herança, filmes difíceis e delicados como Candy.

Tudo o que sabemos sobre:
candyheath ledger

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.