O pai da espiadinha

Boninho, cabeça e diretor do BBB, tem fama de não ser fácil, e nem faz questão de reverter isso. Depois de negar ao Estado outras entrevistas, topou falar sobre o reality por e-mail e com exigência: que o papo fosse publicado na íntegra. Ok! Nada de cortes. Coisa de quem sabe que uma edição pode mudar, e muito, o sentido das coisas.Qual é a principal diferença do ?BBB8? em relação aos outros?Vamos ter uma nova rotina, uma pressão maior de jogo. Mas a grande surpresa vem dos próprios participantes, que terão que fazer de tudo para superar o carisma do Alemão.A última edição foi muito feliz na escolha dos participantes. O Alemão emplacou. Você acha que o cast do programa é base para o ?BBB? emplacar ou não?Sem o Cobra, a Iris, o Cawboy (sic) e a Fani, o Alemão não seria nada. O que faz o BBB são os participantes. A gente só corre atrás das histórias.Houve edições em que a química entre os participantes não deu certo. Como você lida com essa incerteza?Maquinando como superá-las.O maniqueísmo (a coisa da turma do bem, do Alemão, e do mal, do Cowboy), vem funcionando na atração. Acha que isso é o que público quer ver? Quer torcer pelo "mocinho da vez" e odiar o vilão da vez?Adorei você ter se preocupado em me explicar sua questão, e minha resposta é sim. Super-homem, Batman, Romeu, Indiana Jones... quem é que não gosta de um bom mocinho? A diferença é que no BBB esses caras são reais, não são produzidos nem criados.Quantos dos participantes do ?BBB8? foram selecionados por olheiros e quantos foram por meio de inscrições?Os 14 saíram do site e das inscrições pelo correio. Essa polêmica em torno da escolha dos participantes te incomoda? Digo por que sempre levantam a lebre que os BBBs são cartas marcadas.Estamos na oitava edição e nunca tivemos um caso comprovado. O grupo que decide quem entra é incorruptível. Nenhum ex-participante afirmou essa "lebre" e duvido que alguém tenha confirmado isso ao seu jornal.Você participa ainda da edição direta do programa?Tenho que participar, é a minha função, mas adoro perder noites de sono e quebrar a cabeça para o programa dar certo.Chegou a pensar mesmo em fazer um ?BBB?com famosos? Por que desistiu?Não e sim. O Big Brother mundial tem sua versão de famosos com sucesso em diversos países. Fazer uso dessa idéia não seria uma revolução do formato, apenas mais uma adaptação. Por enquanto, aqui no Brasil, preferimos investir na fórmula que está dando certo. Acha que um dia o público vai se cansar do ?BBB??Fica difícil prever se o público se cansará ou não, já que estamos discutindo um formato de sucesso. Os realities shows (sic) são uma tendência mundial. A TV Globo oferece aos telespectadores o que desejam assistir, portanto, serão produzidos até que haja o interesse do público. O segredo do interesse é a dedicação da equipe que trabalha comigo, ao nosso bom humor e ao fato de não encararmos o produto como uma experiência. É apenas um jogo divertido.Você chegou a pensar em abandonar a direção do programa? Por quê?Pensar é minha função, decidir é função da direção da Globo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.