O melhor para as crianças

Em falta na TV brasileira, produções infantis disputam premiação Ibero-americana Prix Jeunesse

Keila Jimenez, O Estado de S. Paulo

19 de setembro de 2009 | 16h00

.

Um público cada vez mais ignorado na TV aberta é o alvo de um festival que reúne países ibero-americanos. Em sua 4ª edição, o Festival Prix Jeunesse terá pela primeira vez o Brasil como sede e premiará produções audiovisuais brasileiras, argentinas, chilenas e cubanas voltadas para crianças e jovens.

 

NACIONAL - 'Peixonauta', da TV Pinguin/Discovery Kids, cocorre

 

Entre as nacionais, Globo, SporTV, Futura, Cultura e produtoras independentes disputam prêmios em seis categorias, que se dividem entre produções de ficção e não-ficção, além de conteúdos curtos para web, em faixas etárias de zero a 15 anos. As produções inscritas devem ter ido ao ar de dezembro de 2006 a julho de 2009.

 

"Temos mais de 150 programas inscritos, e o Brasil representa 50% desse montante", fala Beth Carmona, diretora-geral do Prix Jeunesse Ibero-americano. "Mas falta conteúdo para as crianças na TV. E nem falo só de qualidade. As loiras que apresentavam se foram. Até os desenhos importados estão acabando!"

 

A Globo entrou na disputa com programas como Malhação e especiais como O Natal do Pequeno Imperador. Sucesso no Discovery Kids, a animação nacional Peixonauta, produção da TV Pinguim, também concorre na premiação.

 

Entre as categorias está "Aprender pela Experiência", que contemplará produções que destaquem a importância do desenvolvimento infantil com a aprendizagem por experiência.

 

A escolha dos vencedores será entre o dia 12 e o dia 15 de outubro, no Sesc Consolação, em São Paulo, por meio de votação no local e na web (www.prixjeunesseiberoamericano.com.br). Além da exibição dos concorrentes, o Festival promoverá debates e palestras em torno de conteúdos infanto-juvenis.

Tudo o que sabemos sobre:
TV & LazerinfantilPrix Jeunesse

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.