O equilíbrio como ousadia humana

Filme mostra como o francês Philippe Petit atravessou as torres gêmeas em uma corda

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

08 de agosto de 2009 | 23h52

O francês Philippe Petit não é apaixonado pelo solo - ao menos, é o que demonstra O Equilibrista, ganhador do Oscar de documentário e que agora está à venda pela Califórnia Filmes. É sobre sua paixão em caminhar sobre uma corda esticada a uma gigantesca altura que trata o filme. Especialmente sua maior façanha: atravessar o enorme vão que separava as duas torres gêmeas do World Trade Center, em Nova York. Sob um fio de aço, ele driblou seguranças e policiais para percorrer, sem nenhuma proteção, aquele trajeto, em 1974. Dirigido por James Marsh, o filme conta como Petit ensaiou suas estripulias entre as torres da catedral de Notre Dame ou em uma ponte em Sydney.Graças à destruição das duas torres no famoso ataque terrorista de 11 de setembro de 2001, a ousadia de Petit ganhou um inesperado efeito político no documentário de Marsh. Com a luta antiterror capitaneada pelo ex-presidente George W. Bush em seus dois mandatos, acompanhar a tensa mas bela travessia, ao som das Gnossiennes, de Erik Satie, provoca o efeito mágico de recuperar as torres - e também de uma época em que a ousadia humana parecia se limitar a ações como essa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.