O Dia da Criança que a TV não quer ver

Data criada pelo Unicef ganha espaço em poucos canais, mas com atrações de qualidade

Thaís Pinheiro, O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2007 | 00h54

Pouca gente sabe, mas domingo, 9, foi o Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV (DIC). Data criada pelo Unicef em 1992 para que os veículos de comunicação ouvissem as idéias dos pequenos, a comemoração quase passa despercebida. Quase. Tem gente disposta a ouvi-los. Nesse time, que discutiu este ano o tema " O Mundo que Queremos", estava o canal Futura. O destaque ficou para Crianças Invisíveis, às 21h. O filme, inédito por aqui, é resultado da união de sete episódios realizados por grandes diretores, como: Spike Lee, John Woo, Ridley Scott e a brasileira Kátia Lund (Cidade de Deus). Das 16h às 20h, a Cultura também entrou na festa com atrações como Repórter Eco e Panorama. A novidade ficou por conta de Brazuca, mix de ficção e realidade. Em uma nave espacial, quatro crianças buscam um mundo melhor enquanto mostram reportagens de crianças em situações de risco e descaso no mundo atual. Outra emissora que entrou na homenagem este ano é a Play TV. Durante a última semana, todos os programas do canal foram apresentados por crianças. No domingo, foram reprisados alguns dos melhores momentos. O DIC ainda contou com uma categoria de premiação no Emmy. A Cultura já conquistou três troféus: em 1998, 1999 e 2000.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.