O ato final de The Shield

O que acontecerá com Vic ? O AXN passa a exibir sexta, às 21h, o 7.º e último ano da série

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

07 de fevereiro de 2009 | 22h41

Existem dois tipos de série na TV; aquelas com episódios que começam e terminam - portanto podem ser eternas, como C.S.I - e as que tem uma espinha dorsal, como Lost, Prison Break e cia. O maior desafio dessa segunda categoria é saber a hora de acabar. A FX acertou na mão ao escolher a sétima temporada para concluir The Shield, seu maior sucesso de crítica e audiência. Se fosse além, correria sério risco de andar em círculos. Nos EUA, a sétima temporada teve 2,1 milhões de telespectadores. Com estreia marcada para o dia 13 no Brasil, na AXN, o primeiro capítulo do "ato final" da tropa de choque comandada pelo controverso detetive Vic Mackey - uma espécie de versão corrupta do capitão Nascimento - não derrapa na verossimilhança e segue resistindo bravamente aos clichês do gênero. A derradeira temporada responderá a pergunta que ronda os fãs desde a estreia, em 2002: "Afinal, Vic terá um final feliz?" Pouco provável, assim como também é improvável um final típico dos vilões. É que absolutamente nenhum personagem é completamente bom ou ruim em The Shield.O detetive incorruptível tem fetiche sexual por assassinatos, o policial bom caráter e gay é homofóbico, o capitão-vereador quer limpar a área, mas se mete no meio da sujeira para limpar a própria cara. A escalada do desfecho começa com a família de Vic sendo ameaçada de morte por uma gangue Armênia, a mesma que no passado foi roubada pela tropa. Ao mesmo tempo que tentará protegê-los, o detetive terá que salvar sua própria pele, já que dessa vez cabe a capitã Claudette Wyms tentar de todas as formas expulsá-lo da equipe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.