O Amor nos Tempos do Cólera

Adaptação do clássico de Garcia Márquez, filme traz Javier Barden e Fernanda Montenegro

Flávia Guerra, O Estado de S.Paulo

06 de julho de 2008 | 00h02

Qual o tempo de uma paixão? Nos "tempos do cólera", a paixão e o amor valem uma vida. E valeram também um dos romances mais famosos do escritor colombiano Gabriel Garcia Márquez. O Amor nos Tempos do Cólera, a história do amor incondicional de Florentino Ariza pela jovem Fermina Urbino, ainda rendeu um dos mais esperados, comentados e criticados filmes de 2007. Há quem tenha sentido mais cólera que amor ao ver Javier Barden, Giovanna Mezzogiorno, Fernanda Montenegro entoarem em inglês (e não em espanhol) os célebres diálogos criados por Márquez. Há quem tenha sentido amor ao ver este romance passado na Cartagena do século 19 ser transportado para as telas pelo britânico Mike Newell (de Quatro Casamentos e um Funeral). Quem aprova a adaptação defende que estes nossos não são tempos para amores capazes de esperar uma vida. Ariza (Barden) é um poeta que se apaixona pela jovem Fermina (Mezzogiorno). Mas ela acaba casando com o médico Juvenal Urbino (Benjamin Bratt), que luta para combater o cólera na cidade colombiana. A mãe Tránsito Ariza (Fernanda) tenta convencer Florentino a se casar com outra. Mas ele não aceita. E decide guardar a "virgindade de sua alma" para Fermina. Já "a outra coisa" empresta a mais de 600 mulheres. Mas, um dia, mais precisamente 50 anos depois, Juvenal morre. E chega a hora de Florentino e Fermina provarem (ou não) que o tempo do amor é infinito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.