O amor é lindo às 6 e engraçado, às 7

E não é que Beleza Pura começa a cair no gosto do povo? Demorou algumas semanas, mas nos dias atuais é ingenuidade (ou maledicência) esperar que uma novela desperte paixões já na estréia. Vão longe os tempos em que todo mundo tinha hora certa para chegar em casa, jantar e se esparramar em frente à televisão. As atenções são cada vez mais dispersas: é um filme ou um seriado americano na TV a cabo; é a Internet e o bate-papo com milhões de amigos no Orkut; é a dificuldade em simplesmente sair do trabalho e chegar em casa, com quilômetros de engarrafamento separando um ponto do outro. O sujeito enfrenta tudo isso e ainda precisa ter ânimo para seguir as desventuras de um casal apaixonado.Na falta de um, Beleza Pura tem vários casais apaixonados. Quase todos são malucos. E isso talvez tenha ajudado a deixar o telespectador ressabiado. Afinal, para qual dos casais engraçados ele tem que "torcer"? Por Guilherme (Edson Celulari) e Joana (Regiane Alves) é que ninguém precisa fazer figa: eles são os protagonistas, são bonitos e simpáticos e a novela é do tipo clássica. Ou seja, eles vão terminar juntos. Mas há outros casais disputando as atenções do público - todos são até bem parecidos em suas maluquices. De longe, o par mais simpático é formado pela manicure Rakelli (Isis Valverde) e o pedreiro novo-rico Robson (Marcelo Faria). Rakelli é, até o momento, a grande surpresa da novela. Robson encarnou com gosto na cara boa-praça de Marcelo Faria. E está feita a química. Em confronto direto com eles está outro casal trapalhão: o advogado José Henrique (Bruno Mazzeo) e a burralda Sheila (Carol Castro), ambos quase histéricos de tão divertidos.As palpitações eróticas de Suzy (Maria Clara Gueiros) e Raul (Leopoldo Pacheco) parecem ter feito a autora Andréa Maltarolli esquecer que o rapaz seria apaixonado pela vilã, Norma (Carolina Ferraz). Ainda bem. A graça de Raul e Suzy está justamente nos encontros secretos e incontroláveis. Qualquer novela mais "séria" e melodramática se contentaria com uma só dessas duplas, para o respiro cômico. Como Maltarolli segue a escola de Silvio de Abreu, pisa fundo em casais atrapalhados. Tão fundo que até confunde.e-mail: mvianinha@hotmail.com

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.