Novela de menor ibope do horário, Passione endossa queda da Globo

09 de dezembro de 2010 | 12h02

Com 34,2 pontos de média de audiência na Grande São Paulo até o capítulo 175, exibido na última segunda-feira, Passione deve cerrar cortinas em janeiro como a novela das 9 (ou das 8, como ainda é conhecida) de menor audiência da Globo. Nesse período, o share, termo que mede a participação do programa no universo de TVs ligadas, foi de 53,2%. A trama atual tem todos os votos de pesquisas de grupo. Mas o folhetim acompanha uma queda de ibope verificada em toda a grade do plim-plim, numa situação que pode até ser estancada, mas certamente é irreversível aos padrões de 50 e 60 pontos que a Globo colecionou por três décadas.

Na Grande São Paulo, onde cada ponto equivale a 56 mil lares, segundo o Ibope, o painel de audiência das últimas quatro novelas do horário, tomando como referência sempre os seus 175 capítulos iniciais, é o seguinte:

* Duas Caras (2007/2008): 40,2 pontos de média, com 62% de share;

* A Favorita (2008): 39 pontos de média, com 57,8% de share;

* Caminho das Índias (2009): 37,5 pontos, com 57,9% de share;

* Viver a Vida (2009/2010): 35,3 pontos de média e 56,1% de share.

Há quem defenda na emissora que parte da queda na TV é compensada pelo crescimento da audiência na internet, mas a frequência na web não pode ser tomada como público complementar, até porque muitos vão à rede para rever o que já viram na TV.

Para Boni, o executivo que ajudou a pavimentar a grade agora em desgaste, a novela tende a ser, dentro de 30 anos, um produto on demand, ou seja, pago por encomenda.

Bem na foto

Clicada por Henrique Gendre para a revista RG, Bruna Linzmeyer, vista na série Afinal, o Que Querem as Mulheres, fará par com Lázaro Ramos na próxima novela das 9.

300%

é o que o site do Roda Viva cresceu em pageviews, nos cálculos da TV Cultura, entre as 14 semanas seguintes e as 14 semanas anteriores à reforma do título

‘Do jeito que está, meu irmão, se a gente comprar um circo, o anão cresce’, de Wagner Montes, no Balanço Geral da Record carioca, ao ilustrar a má fase por que passa o Rio

A TV ocupa o 5º lugar como passa-tempo na preferência de jovens de 10 a 19 anos, no Reino Unido. Assim contou a editora-chefe de Educação do Channel 4, Jo Twist, anteontem, no PIC sobre Novos Formatos, evento da Associação Brasileira de Produtoras Independentes, em São Paulo. Videogame e internet lideram o ranking.

A pesquisa mencionada por Twist, obra da rede pública britânica, denuncia o que aqui já se prevê: que o público jovem migra cada vez mais da TV para videogames e internet.

Com 21 pontos de média no Ibope, A Desinibida de Copacabana, com Alessandra Negrini, anteontem, na Globo, foi recorde de audiência da série As Cariocas. Até então, o episódio de Adriana Esteves tinha o maior resultado: 19 pontos.

Patrocinadora do BBB desde a 1ª edição, a Fiat já se movimenta na elaboração de provas para a 11.ª temporada, com farta distribuição de exemplares da marca na casa.

A chegada da Record HD à Net, maior operadora de TV paga do País, está próxima de ocorrer.

É apoiada em larga pesquisa, estudo feito em cinco capitais, a mudança de perfil que determina nova programação para o canal GNT a partir de março. E a expansão da classe C na base de assinantes tem muito a ver com o peixe.

Vai ao ar hoje o esperado beijo gay previsto na série Clandestinos, da Globo. Mas convém avisar aos mais animados: trocado entre dois personagens heterossexuais vividos por Hugo Leão e Fábio Henrique, promete ser só mais um selinho.

Bandeira do Fluminense foi vista na vizinhança do prédio de Christiane Torloni em cena da novela Ti-Ti-Ti, em tese passada em São Paulo, mas gravada na Barra da Tijuca. Seria de um fluminense perdido em Sampa?

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.