Wayne Camargo/Divulgação
Wayne Camargo/Divulgação

No programa 'Chega Mais', modelos fazem assistencialismo

Elenco da nova atração da RedeTV! é formado por profissionais de moda de agência

João Fernando, O Estado de S. Paulo

28 de fevereiro de 2015 | 16h00

 Top internacional, Renata Kuerten tem trocado as viagens para Paris e Nova York por Osasco, na Grande São Paulo. “Agora, saio do Itaim para lá. Pelo menos, durmo todos os dias em casa”, diz. É lá, na cidade onde fica a sede da RedeTV!, que a catarinense tem passado as últimas semanas, gravando diferentes edições do Chega Mais, programa que ela comandará na emissora a partir deste domingo, às 18h30, ao lado do stylist Matheus Mazzafera e do ator Adriano Dória.

A atração tem características de outras produções populares da TV aberta, como quadros de aventura, assistencialismo, animais e concursos de beleza. A diferença é que haverá uma conexão com a moda e a plateia é formada exclusivamente por modelos, que se dividem em tarefas e acompanham o trio de apresentadores fora do estúdio. “Lancei pessoas como Ana Hickmann, Patrícia Poeta e Adriana Galisteu. Daqui a alguns anos, eles serão grandes nomes da TV”, aposta Eli Hadid, dono da agência Mega Model e criador do programa.

Em vez de fazer carão na passarela, os profissionais da moda vão passar por provas, como esportes radicais, e também chorar nos quadros assistencialistas. O principal é Cinderello, em que a equipe tentará transformar um adolescente encontrado em um orfanato no Sul do País em scouter, responsável por descobrir novas modelos. “Estamos trazendo beleza, mas vamos ajudar de verdade”, avisa o diretor Raphael Garcia. “Vamos formar um cidadão. Ele terá contrato vitalício com a agência. O quadro é para mostrar que qualquer pessoa com oportunidade pode se dar bem na vida. A minha vida inteira realizei sonhos. Ninguém deixou tanta gente rica como eu”, afirma Hadid, que já emplacou realities de moda em outras emissoras.


Mesmo com a música dramática e o chororô do elenco, a equipe assegura que Chega Mais não quer entrar nos clichês da TV aberta. “A gente não explora ninguém. Tudo tem começo, meio e fim. Esse jovem não ficará solto”, alega o diretor. “ A gente está preocupado com a qualidade e não em conseguir mais pontos no Ibope. A expectativa é de um ponto. Os anunciantes não compraram audiência, e sim, qualidade”, defende Eli Hadid, que atraiu empresas e conhecidos de seu mercado para a produção. A direção de fotografia ficou a cargo de Jacques Dequeker, renomado profissional da moda.

Entre os quadros que destoam do glamour do elenco está um com entrevistas com mulheres cujos filhos desapareceram. “Perdi uma filha cedo e procurei uma ONG de mães de filhos desaparecidos”, relembra o empresário. Em Dog Star, os modelos farão uma competição para encontrar donos para cães de rua.Já em Na Mira da Divas, as jovens modelos vão sabatinar uma celebridade. No quadro A Liga das Blogueiras, internautas ligadas à moda participarão de brincadeiras, como um desafio de montar looks para postar na internet.

Interatividade. Apesar de o programa ser gravado, o público poderá interferir. A cada edição, um dos modelos estará online em um hang out para anunciar quais quadros estarão disponíveis. Os internautas votarão para decidir o que será exibido no domingo seguinte.

Embora seja conhecida por outras aparições na TV, com a Dança dos Famosos, no Domingão do Faustão, Renata Kuerten é tida como aposta pelo fato de o Chega Mais ser a primeira vez em que está no comando de um programa. A top precisou reduzir os trabalhos como modelo. “Tive de dizer muitos nãos”, confessa a loira, que dá dicas para os diretores. “Já tinha noção de luz, postura e do meu melhor ângulo.”

Tudo o que sabemos sobre:
Chega MaisRedeTV!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.