Assessoria Netflix
Assessoria Netflix

Netflix quer expandir a produção de séries originais brasileiras

Intuito é que conteúdos produzidos no País sejam consumidos em todo o mundo

Eduardo Gayer, especial para o Estado

19 de março de 2019 | 13h53

A Netflix chegou no Brasil para ficar. É o que afirma Maria Angela de Jesus, diretora brasileira de produções originais da empresa no País, em entrevista concedida ao Estado. A plataforma de streaming anunciou as estreias de duas séries originais brasileiras, Coisa Mais Linda e O Escolhido, além da segunda temporada de Samantha! e a terceira de 3%.  

Maria Angela diz que a Netflix vive um momento muito forte, em que está buscando trazer histórias diversificadas, nos mais diversos gêneros, para alavancar o consumo de produção brasileira em todo o mundo. “Queremos que nossos conteúdos viajem e conquistem público não só no Brasil, mas fora dele. Uma boa história não tem fronteiras.” 

O desafio está, justamente, em produzir algo com força local que possa conversar com uma audiência internacional. Para Maria Angela, o segredo é trazer assuntos relevantes e universais com roupagens diferentes. “Coisa Mais Linda, por exemplo, se passa no Rio, é sobre bossa-nova, mas, no fundo, são quatro mulheres tentando mudar as regras, indo atrás dos sonhos, o que poderia acontecer em qualquer local do mundo. Claro que colocamos nossas tintas locais, mas [essas mulheres] poderiam estar em qualquer lugar.”

Essa “resposta de ouro”, como definida pela executiva da Netflix, já pode ser entendida como realidade. A série 3% teve 50% de sua audiência vinda de fora do Brasil. “É o seu conteúdo chegando ao mundo inteiro. Essa é a beleza de um serviço como a Netflix: levar conteúdo local para o mundo todo.” As próximas produções originais brasileiras também vão estrear simultaneamente em 190 países, em 27 idiomas e para 139 milhões de pessoas.

A Netflix pretende expandir as animações brasileiras, como Superdrags, e não pensa em produção para cinema no País, no curto prazo. “O foco são as séries de ficção, no momento.” Em 2018, o Brasil já bateu o recorde de séries exclusivas para o streaming

Além das séries programadas para 2019, outras produções podem ser lançadas ainda neste ano. São elas: Irmandade, de Pedro Morelli, Cidades Invisíveis, de Carlos Saldanha, Ninguém Tá Olhando, de Daniel Rezende, e Onisciente, de Pedro Aguilera. 

Tudo o que sabemos sobre:
Netflixsérie e seriado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.