Divulgação
Divulgação

'Não aguentaria ter uma mãe como Nora Walker'

Matthew Rhys, o Kevin Walker, fala sobre 'Brothers & Sisters', cujo 3.º ano começa quarta

Etienne Jacintho, RIO, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2009 | 23h40

Antes de partir para uma filmagem na Patagônia argentina, o ator Matthew Rhys, o Kevin de Brothers & Sisters, passou pelo Rio, de férias. No entanto, ele reservou um dia para conversar com a imprensa. Rhys, por incrível que pareça, nada tem de Kevin. O sotaque galês, por exemplo, é uma das surpresas - e a maior dificuldade do ator na hora de interpretar o personagem. Ao Estado, o ator adiantou algumas novidades da 3ª temporada da série que estreia nesta quarta-feira, às 23 horas, no Universal Channel.

Sua mãe é como Nora Walker (Sally Field)?

Não! Só em alguns pequenos detalhes como a culinária.

Você aguentaria uma mãe como Nora?

Não (risos)! Ficaria louco!

Você sofreu algum tipo de preconceito por causa do casamento gay do personagem?

Para ser honesto, não experimentei nenhum tipo de preconceito. Temos sido muito bem apoiados nessa questão.

Kevin e Scotty ficarão para sempre em lua de mel?

Kevin estará mais confortável com quem ele é e colocará sua vida numa direção diferente. Algo acontece, sim, na vida de Kevin e Scotty, porque senão não seria Brothers & Sisters (risos). Há sempre drama!

Quando a série começou, você esperava o sucesso de Kevin?

Ter a ABC querendo fazer isso e apresentar um personagem gay de um jeito tão positivo e progressista na TV foi fantástico. Quando comecei a série não imaginava isso, porque fazer TV nos EUA é tão difícil e, se você faz meia temporada já é bom. Foi um processo lento nessa máquina ter Kevin fazendo tão bem para essa comunidade.

Kevin vai ajudar Saul (Ron Rifkin) a sair do armário?

Sim, mas tenho de ser honesto, esperava que na 3º temporada houvesse mais disso, no sentido de um personagem mais velho pedir conselhos para um mais novo, mas há tanta coisa para lidar, tantas histórias...

E Ryan, o meio-irmão recém-descoberto?

Ryan aparece nas nossas vidas e esse é o fim da terceira temporada: não sabemos se ele vai ficar por perto ou não.

Já que a série fala sobre política, o que você acha de Obama?

Odeio a palavra pena, mas tenho pena de Obama por entrar nessa com o país como estava. Ele está há pouco tempo no governo e o povo já pergunta: 'Cadê os resultados'? Admiro Obama, mas não o invejo.

O início de 'Brothers & Sisters' foi difícil e, agora, a série é um sucesso. O que aconteceu?

Acho que, como no futebol, o time se sai melhor após um tempo jogando junto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.