'Na Globo, eles ganhavam pouco'

Chefão da Record se aproveita da falta de espaço na líder para seduzir artistas

Keila Jimenez, de O Estado de S.Paulo,

26 de abril de 2008 | 23h44

Assédio selvagem não, boas propostas para quem estava descontente na líder. Para o todo-poderoso da Record, o vice-presidente de Produção, Honorilton Gonçalves, a Globo perdeu profissionais porque não os valorizava.Você acha que o fato de a Record investir pesado em novelas mudou a relação contratual da Globo com seus artistas?Não conheço os contratos que a Globo mantém. No entanto, sobre os que vieram para a Record posso dizer que, pelo que a Globo fatura com as novelas, lá eles ganhavam pouco. Quanto ao assédio da Record, acho que eles não temem. Talvez tenham uma pequena preocupação.Muito se falou sobre o assédio da Record em cima do cast da Globo. Existe um movimento inverso?Acredito que isso seja improvável. O cast da Globo é muito grande. Muitos dos que hoje estão na Record não tinham contrato de longo prazo com nenhuma emissora e estavam sem uma perspectiva de trabalho à altura de seu talento.Acredita que a Globo levou Márcio Garcia porque ele estava incomodando na Record?Não sei se o Márcio planejou tudo isso quando saiu da Globo. Uma coisa, porém, é certa: foi o melhor negócio que ele fez. Se ele não tivesse vindo para a Record, hoje estaria na mesma situação de muita gente talentosa que não tem espaço para mostrar o seu potencial e acaba não tendo seu valor reconhecido. Não há como pensar em reserva de mercado com um leque tão grande de oportunidades para ser explorado.Como a Record pretende segurar os seus artistas na casa?O momento que a Record está vivendo é maravilhoso. Recentemente, um dos nossos apresentadores recebeu uma proposta milionária para deixar a emissora, (Geraldo Luiz, do ?Balanço Geral? foi convidado para ir para o SBT) mas ele preferiu permanecer na Record. A turma da manhã (da programação matutina da emissora) não apenas incomoda como proporcionou uma reviravolta na programação matinal da Globo. Creio que, a exemplo do outro apresentador, se houver uma proposta da concorrência, eles analisarão as oportunidades. Existe a lenda de que quem sai da Globo não volta mais. Acha que isso foi revisto?Mais que terminar com uma lenda, acabamos com um preconceito de mercado. Há vida inteligente fora da Globo e a competitividade motiva os profissionais que se sentem preteridos a mostrarem toda sua capacidade. Estamos mudando hábitos. É saudável por um fim às lendas!

Tudo o que sabemos sobre:
GloboRecord

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.