Morre aos 85 anos o ator mexicano Roberto Bolaños, o Chaves

Comediante tinha problemas respiratórios e dificuldades para andar; corpo será velado no estádio Azteca, na Cidade do México

Renato Vieira, O Estado de S. Paulo

28 de novembro de 2014 | 18h50

Atualizado às 9h45

O célebre comediante Roberto Gómez Bolaños morreu aos 85 anos na tarde desta sexta-feira, 28, informou a Televisa. O velório acontece no domingo, 29, no estádio Azteca, na Cidade do México. Roberto Bolaños nasceu na capital mexicana em 21 de fevereiro de 1929. Começou a carreira como redator publicitário e nos anos 1950 passou a escrever roteiros para programas de comédia e cinema. Sua estreia como ator foi em 1960, no filme Dos Criados Malcriados.

Ganhou o apelido Chesperito do diretor Agustín Delgado, primeiro a rodar um roteiro escrito por ele. O cineasta considerava Bolaños "um pequeno Shakespeare", que fazia historias semelhantes às do escritor inglês. Em 1968, passou a escrever o programa Los Supergenios de La Mesa Cuadrada, onde estreou como ator na televisão.

Em 1970, ganhou um programa próprio, batizado com seu apelido. No mesmo ano, o personagem Chapolin Colorado estreou na atração. No ano seguinte, Chaves foi ao ar pela primeira vez. Após o fim de Chesperito, em 1973, Chaves e Chapolin ganharam programas independentes, que duraram até 1979. Chesperito voltou a ser exibido em 1980, mantendo-se na grade por 15 anos.

Em 1984, o SBT passou a exibir Chapolin e Chaves. Este último passou a ser uma espécie de "levanta audiência" na emissora de Silvio Santos. A série foi retirada da programação algumas vezes, mas hoje é exibida de segunda a sexta-feira.

Bolaños foi casado com a escritora Graciela Fernández, com quem teve seis filhos, entre 1958 e 1977, ano em que assumiu o relacionamento com a atriz e escritora Florinda Meza, a dona Florinda de Chaves. Eles oficializaram a união em 2004. Há alguns anos, eles vivem em Cancún, em uma casa próximo à Lagoa de Nichupté. O local fica livre do assédio da imprensa mexicana.

Desde 2009, o estado de saúde do comediante era instável. Ele precisou operar a próstata e, por conta do procedimento, deixou de andar. Desde então, diversos boatos sobre sua morte são divulgados. Ao completar 85 anos em fevereiro, um parente próximo de Bolaños disse que o ator tinha acompanhamento médico 24 horas por dia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.