Mistério no interior

Globo vai a Diamantina para rodar série sobre médico que se descobre curandeiro

Patrícia Villalba, de O Estado de S. Paulo

25 de junho de 2010 | 16h00

Milagreiro. Selton Mello é Dimas, médico que tem poder misterioso de cura

 

DIAMANTINA - Às 7h30 da manhã de segunda-feira, o cheiro de café fresco ainda sai pelas janelas coloniais de Diamantina (MG) quando a equipe do diretor-geral Ricardo Waddington monta o set para mais um dia de gravação do seriado A Cura. Será uma bateria de nove cenas, em mais um dos 25 dias de filmagens, que se estendem até 4 de julho.

 

Confira outras matérias do TV:

'É só fazer a barba e entrar em cena'

Problema de classe média só muda de endereço

 

Escrita por João Emanuel Carneiro, a série terá nove capítulos semanais, com estreia prevista para agosto. No centro da trama, que mistura ciência, fé e mistério, está Dimas, interpretado por Selton Mello, que volta à TV depois de três anos. "É um personagem meio misterioso, que chega a Diamantina no início da série. Paira sobre ele uma aura de assassino, porque ele foi acusado de matar um amigo da escola, quando era criança, uma história meio mal contada", adianta Selton ao Estado. "A volta dele, para trabalhar no hospital da cidade, gera um rebuliço. Como se não bastasse, corre um boato de que ele opera espiritualmente as pessoas. Esse é o grande mistério da série."

 

Filmado com a poderosa Sony F35, de tecnologia pós-HD, o seriado recupera o clima fantástico interiorano que fez sucesso em produções como Saramandaia (1976). "É um suspense, um gênero pouco visitado na teledramaturgia nacional, que tem momentos de sobrenatural", define Waddington. "Dimas é um santo ou um assassino? Essa é a nossa grande questão."

 

EQUIPE: 160 pessoas trabalham nas gravações do seriado A Cura, em Diamantina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.