Imagem Cristina Padiglione
Colunista
Cristina Padiglione
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Merchandising infantil em 'Carrossel' rende multa ao SBT; cabe recurso

A 5ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo determinou que o SBT pague uma indenização de R$ 700 mil por danos morais coletivos por fazer merchandising direcionado ao público infantil em Carrossel. A condenação é em primeira instância e o SBT pode recorrer da decisão. Para o juiz Luis Felipe Ferrari Bedendi, a “emissora valeu-se da ingenuidade, da falta de perspicácia e da imaturidade do público infantil para dele se aproveitar economicamente, incutindo-lhes a necessidade de aquisição dos produtos veiculados”. O processo teve início depois de procedimento administrativo promovido pela Fundação Procon de São Paulo, que contou com a contribuição do Projeto Criança e Consumo, do Instituto Alana. Entre maio e agosto de 2012, o Criança e Consumo analisou a novela e lá encontrou cenas de publicidade de variados produtos. Uma das cenas citadas no relatório encaminhado ao Procon aponta que a professora Helena, tendo ao lado um personagem médico, fala sobre a importância do chocolate para as crianças – e lá estava a marca Cacau Show. Merchandising infantil é termo há tempos vetado na TV brasileira. O Código de Defesa do Consumidor estabelece que a publicidade deve ser clara e facilmente identificável por seus destinatários, e o artigo 36 proíbe a publicidade oculta, clandestina ou subliminar. Após a denúncia, representantes do Criança e Consumo participaram de dois encontros entre dirigentes do Procon e do SBT na tentativa de dialogar com a emissora sobre o tema, mas nenhum acordo foi firmado. Não é a primeira vez, desde que o merchandising infantil foi vetado na TV brasileira, que o SBT é acusado de tal prática. Em 2011, a emissora foi multada em R$ 1 milhão pelo Ministério da Justiça, por exibir a marca dos produtos que sorteava durante o 'Bom Dia & Cia.'.Corte e costura. Na primeira etapa do concurso que movimenta Totalmente Demais, a novela das 7, Eliza (Marina Ruy Barbosa) briga com Cassandra (Juliana Paiva) e seu vestido rasga. Arthur (Fábio Assunção) costura o vestido da garota, que fica ainda melhor.Os bordões da velha ‘Escolinha do Professor Raimundo’ estarão disponíveis no GShow a partir de hoje, em áudio. Do ‘Vapt Vupt” de Chico Anysio ao “Amado mestre” de Rogério Cardoso, as frases poderão ser ouvidas e compartilhadas na web.Embora a Globo não libere nada de seu conteúdo à Netflix, é bem possível que a versão latina da série Supermax – notícia antecipada pela coluna no último sábado – seja negociada com a plataforma sob demanda.A versão latina de ‘Supermax’ será uma coprodução da Globo com a produtora do cineasta argentino Daniel Burman. O elenco será hispânico e as gravações, nos mesmos cenários da versão original, no Projac. No Brasil, a série deve estrear em abril.50% de aumento na audiência da faixa noturna de 2ª feira e o 4º lugr no ranking da TV paga (público acima de 25 anos) alcançou o Discovery com as estreias de ‘Fantasmas do Alasca’, ‘O Retorno dos Mortos’ e ‘Ataque Paranormal’, em 23/11“Ownnnnnnnnnnn. Como pode, um ogro como eu, ter fãs tão fofonildos e tchuco-tchucos?? Gracias”Alexandre Nero, NO TWITTER

Cristina Padiglione, O Estado de S. Paulo

07 de dezembro de 2015 | 03h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.