Mel Brooks satiriza a história do mundo

Diretor brinca, às vezes de forma grosseira, com as diversas fases da evolução do homem

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

14 de março de 2009 | 22h17

O humor de Mel Brooks não agrada todos paladares - considerado grosseiro por alguns, salva-se com algumas piadas geniais. E um de seus últimos grandes filmes chega finalmente em DVD, A História do Mundo - Parte 1, lançado pela Fox. Antes de mais nada, não espere por continuações: a tal primeira parte já figura como uma piada.

Brooks, que dirigiu clássicos como O Jovem Frankenstein e Primavera para Hitler, conta a história da humanidade à sua maneira, ou seja, abusando de referências a outros filmes (especialmente 2001, Uma Odisseia no Espaço) a brincadeiras com os gêneros - a Inquisição Espanhola, por exemplo, é contada a partir de um grande número musical, em que monges e freiras dançam em uma piscina a la Esther Williams.

Brooks não apenas dirige como faz diversos papéis - é ele quem interpreta um filósofo fazendo uma "apresentação" no palácio de César, além do rei Luís XVI, quando o assunto é a Revolução Francesa. O mais hilariante, no entanto, é sua versão de Moisés: ele aparece com três tábuas, anunciando: "Eis os 15 mandamentos". De repente, uma delas cai e se despedaça. Moisés logo se emenda: "Eis os 10 mandamentos...".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.