Hélvio Romero/AE
Hélvio Romero/AE

Marcos Oliveira, que ficou conhecido como o Beiçola de 'A Grande Família', voltou a trabalhar

O ator foi contratado pelo aplicativo GetNinjas para fazer vídeos sobre profissionais liberais

O Estado de S. Paulo, O Estado de S.Paulo

15 de fevereiro de 2017 | 11h04

Durante 14 anos, o ator Marcos Oliveira, 60, deu vida ao personagem Beiçola, do seriado A Grande Família, da Globo, que lhe possibilitou pagar as contas, entre elas a do aluguel de um apartamento em Botafogo, Rio de Janeiro, que ele mora até hoje. Com o fim do seriado, o ator fez alguns trabalhos na emissora, o último na novela Liberdade, Liberdade, em 2016. A partir de julho do ano passado, ele não foi mais convidado para nenhum trabalho. As contas começaram a acumular, endividado e com problemas de saúde, o ator recorreu as redes sociais para falar que precisava voltar a trabalhar para sobreviver.

“Oi, gente. Eu sou o Marcos Oliveira e estou na batalha. Estou sem contrato e não consigo mais viver. Estou desde julho sem trabalho, tudo foi embora, os empréstimos também, o que eu preciso mesmo é de trabalho”, postou ele na sua página no Facebook.

Os fãs do seriado começaram a divulgar pelas redes a situação que o ator se encontrava. Foi assim que Eduardo L´Hotellier, dono do aplicativo GetNinjas, ficou sabendo do caso. Ele mandou contratar Marcos Oliveira para uma websérie sobre como se viram os profissionais liberais no Brasil, que começou a ser rodado no início de fevereiro.

O ator fará algumas profisssões como um barman, um pintor de parede, um personal trainer, entre outras. A ideia, segundo a empresa, é brincar com a situação de desemprego que passa o País e de como os profissionais se viram nessa hora de aperto. No primeiro momento o ator vai fazer quatro episódios, que serão exibidos pela internet, e caso gere interesse, o aplicativo renova o contrato com ele.

Por hora, Marcos Oliveira está focado na websérie e feliz com a rotina de trabalho. “É tão bom você chegar em casa, mesmo com aquele salário miúdo, mas pelo menos você trabalhou, você contribuiu com a sociedade. É muito importante você viver com a sua dignidade”, disse ele em um programa de televisão. Sobre como será a websérie, ele adiantou. “Vou tentar ser um pintor, um barman, um personal trainer, um diarista e por aí vai. Vai ser engraçado”.


Durante 14 anos, o ator Marcos Oliveira, 60, deu vida ao personagem Beiçola, do seriado A Grande Família, da Globo, que lhe possibilitou pagar as contas, entre elas a do aluguel de um apartamento em Botafogo, Rio de Janeiro, que ele mora até hoje. Com o fim do seriado, o ator fez alguns trabalhos na emissora, o último na novela Liberdade, Liberdade, em 2016. A partir de julho do ano passado, ele não foi mais chamado para nenhum trabalho. As contas começaram a acumular e endividado e com problemas de saúde, o ator recorreu as redes sociais para falar que precisava voltar a trabalhar para sobreviver.

“Oi, gente. Eu sou o Marcos Oliveira e estou na batalha. Estou sem contrato e não consigo mais viver. Estou desde julho sem trabalho, tudo foi embora, os empréstimos também, o que eu preciso mesmo é de trabalho”, postou ele na sua página no Facebook.

Os fãs do seriado começaram a divulgar pelas redes a situação que o ator se encontrava. Foi assim que Eduardo L´Hotellier, dono do aplicativo GetNinjas ficou sabendo do caso. Ele mandou contratar Marcos Oliveira para uma webserie sobre como se viram os profissionais liberais no Brasil., que começou a ser rodado no início de fevereiro.

O ator fará algumas profisssões como um barman, um pintor de parede, um personal trainer, entre outras. A ideia, segundo a empresa, é brincar com a situação de desemprego que passa o País e de como os profissionais se viram nessa hora de aperto. No primeiro momento o ator vai fazer quatro episódios, que serão exibidos pela internet, e caso gere interesse, o aplicativo renova o contrato com ele.

Por hora, Marcos Oliveira está focado na websérie e feliz com a volta da rotina de trabalho. “É tão bom você chegar em casa, mesmo com aquele salário miúdo, mas pelo menos você trabalhou, você contribuiu com a sociedade. É muito importante você viver com a sua dignidade”, disse ele em um programa de televisão. Sobre como será a websérie, ele adiantou. “Vou tentar ser um pintor, um barman, um personal trainer, um diarista e por aí vai. Vai ser engraçado”.

Tudo o que sabemos sobre:
BotafogoRio de JaneiroFacebookBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.