Divulgação
Divulgação

‘The Leftovers’ mantém tensão em sua segunda temporada

HBO retoma enredo que retrata o sumiço de 2% da população mundial e traz sensação de que nada é o que parece

Cristina Padiglione, O Estado de S. Paulo

04 Outubro 2015 | 15h35

Assistir a The Leftovers, série que inaugura neste domingo, 4, sua 2.ª temporada, pela HBO, é cultivar a sensação de ser surpreendido a qualquer momento com a certeza de que nada é o que parece ser. A série criada por Tom Perrota e Damon Lindelof - mais conhecido como o criador da mais enigmática das séries de grande sucesso, Lost -, estreia no Brasil simultaneamente aos Estados Unidos, às 23h (fuso de Brasília). 

Agora estamos no leste do Texas, em uma pequena cidade de 9.261 pessoas, único município no mundo, de que se tem notícia, poupado do desaparecimento que vitimou 2% da população da Terra, ou 140 milhões de seres, num fatídico 14 de outubro visto lá no 1.º episódio da 1.ª temporada. Do nada, pessoas desapareceram, evaporaram, sem deixar rastros, suscitando manifestações religiosas de toda espécie. Surgiram seitas dispostas a fazer uma leitura bíblica muito particular de sinais do Apocalipse, gente disposta a fazer premonições e caçar seguidores, gente disposta a seguir os profetas e pseudoprofetas do fim do mundo. Todo esse painel se desenha desde aquele que ficou conhecido como o “Dia da Partida Repentina”. 

O ponto de largada desse enredo é Mapleton, em Utah, de onde vem o xerife Kevin Garvey (Justin Theroux). Embora nenhum parente seu tenha desaparecido naquele dia, sua família se desfez desde o episódio - a mulher aderiu a um grupo que se veste de branco e se sente culpado por estar entre os remanescentes, a filha ficou atordoada pelo afastamento da mãe e o filho aderiu a um outro “salvador”. 

Agora, o início do episódio que abre a nova temporada, assistido pelo Estado, não está em Utah nem no Texas. As câmeras descortinam um mundo deserto, onde uma única mulher, grávida, dá à luz um bebê, sem chance de se proteger do sol, da chuva e de animais peçonhentos - como a cobra que deixará o bebê órfão em poucos dias. Sem corte, o episódio nos transporta para o contexto da cidade texana, por intermédio de uma das personagens que trazem mais mistério à trama. 

Se o livro de Perrotta praticamente se esgota na primeira temporada, a HBO promete ir além do conceito da Partida nesta segunda etapa, mostrando como as pessoas reagem a acontecimentos ainda inexplicáveis. A tensão, o tempo todo, está fincada lá no passado, ainda, endossando o comportamento de quem não consegue lidar com as perdas e a culpa.

Enquanto Kevin Garvey larga seu cargo de chefe de polícia para recomeçar a vida com a filha e outra mulher no Texas, sua ex-mulher, Laurie Garvey (Amy Brenneman), decide se desligar do grupo Guilty Remnant e se unir ao filho, Tom (Chris Zylka), que pode ter finalmente descoberto uma causa à qual se dedicar para ajudar a diminuir o seu sofrimento. Meg (Liv Tyler) continua no odiado Guilty Remnant, mas o grupo já não é o mesmo. 

The Leftovers traz dez episódios de uma hora cada um, produção caprichada, padrão HBO, com os créditos de quem já tem um Emmy em casa - Damon Lindelof, por Lost -, e de quem já foi indicado para o Oscar por melhor roteiro - Perrotta, por Pecados Íntimos. No elenco da vez, estão ainda Justin Theroux, Amy Brenneman, Christopher Eccleston, Carrie Coon, Ann Dowd, Margaret Qualley, Chris Zylka, Regina King, Kevin Carroll e Janel Moloney.

 

Mais conteúdo sobre:
Televisão TV séries de TV

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.