Richard Shotwell/AP
Richard Shotwell/AP

Jessica Walter chora em entrevista ao lembrar assédio moral de Jeffrey Tambor

Elenco de 'Arrested Development', que volta à Netflix na semana que vem, falou ao 'New York Times' sobre o comportamento do ator, acusado de assédio sexual e moral

O Estado de S.Paulo

24 Maio 2018 | 10h46

Três meses após ser demitido pela Amazon por denúncias de assédio sexual no set da série Transparent, a qual estrelava no serviço de streaming, o ator Jeffrey Tambor está de volta aos holofotes com a estreia da quinta temporada da série Arrested Development, na Netflix, na próxima terça-feira, 29. 

Em entrevista ao New York Times, parte do elenco da série se reuniu para falar sobre os novos episódios, mas o comportamento de Tambor, que chegou a vencer por duas vezes o prêmio Emmy de melhor ator em série de comédia por viver a transexual Maura, em Transparent, foi o foco principal da discussão.  

++ Jeffrey Tambor deixa série 'Transparent' após acusações de assédio sexual

Em março, quando surgiram as denúncias, Tambor negou as acusações ao Hollywood Reporter, mas se desculpou por seu comportamento difícil nos bastidores de seus projetos, confessando já ter tratado mal colegas, como Jessica Walter, a Lucille de Arrested Development. "Eu me desculpei profundamente. Walter é uma lição de atuação ambulante. Em Transparent, eu tive um temperamento e gritei com as pessoas, magoando seus sentimentos. Foi inconsciente e estou trabalhando nisso, vou deixar isso para trás, eu amo atuar", disse Tambor ao New York Times

Em lágrimas, Walter se pronunciou na entrevista, disponibilizada em áudio pelo jornal americano. "Eu tenho que parar de sentir raiva dele. Ele nunca teve um comportamento, na nossa série, com qualquer coisa sexual. Verbalmente, sim, ele me assediou, mas pediu desculpas. Eu tenho que superar", desabafou a atriz, que em seguida falou ao colega. "Eu tenho que te dar uma chance, para sermos amigos novamente."

Apesar do clima amistoso entre Walter e Tambor, a atriz criticou um comentário de Jason Bateman, o Michael Bluth de Arrested Development, que tentou minimizar a situação, dizendo que o elenco é "uma família" e "famílias têm amor, risos e brigas". "Jason diz que essas coisas acontecem o tempo todo. Em 60 anos de carreira, eu nunca tive ninguém gritando comigo no set daquele jeito."

Alia Shawkat, a Maeby Funke da série, também criticou uma outra fala de Bateman, que defendia Tambor por seu comportamento, que ele próprio colocou entre aspas, "difícil". "Mas não significa que isso é aceitável", declarou a atriz. "E o ponto é que as coisas estão mudando e as pessoas precisam se respeitar."

Tony Hale, Will Arnett e David Cross também participaram da entrevista. Michael Cera e Portia DeRossi não estavam presentes. 

Arrested Development foi ao ar pela primeira vez em 2003, pela Fox, mas foi cancelada na terceira temporada, em 2006. Em 2013, a Netflix resgatou a série para a quarta temporada, que estreou naquele ano. A quinta temporada, que estreia na próxima terça-feira, 29, foi dividida em duas partes, a primeira contendo oito episódios. 

A pressa da Netflix em exibir novos espisódios da série pode ter a ver com o prazo de submissões das inscrições ao Emmy 2018, que vão até 31 de maio. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.