Divulgação
Divulgação

Irmãos Duffer podem inserir referência ao Brasil em 'Stranger Things'

Diretores que foram elogiados no Twitter por Stephen King e Guillermo del Toro

Mariane Morisawa / LOS ANGELES, ESPECIAL PARA O ESTADO 

30 Julho 2016 | 16h00

Duas semanas atrás, quase ninguém tinha ouvido falar dos irmãos Duffer, Matt e Ross. Agora, eles são dois dos nomes mais quentes em Hollywood, graças ao sucesso de Stranger Things, cuja primeira temporada está disponível na Netflix. A série, cheia de referências a filmes dos anos 1980, traz Winona Ryder como a mãe de um garoto que desaparece misteriosamente.

Os gêmeos de 32 anos mal parecem acreditar. “Winona estava superpreocupada com o vazamento de roteiros, e a gente falava: ‘Não se preocupe, ninguém sabe quem somos’”, contou Ross. Eles foram elogiados no Twitter por Stephen King e Guillermo del Toro. “Foi legal ver que Stephen encarou as referências como homenagem. Ele é um dos nossos deuses”, garantiu Ross. E, claro, tem a resposta vinda do Brasil. “É maluco, sempre estamos nos trending topics!”, afirmou Ross. 

O ator David Harbour, que faz o chefe de polícia Jim Hooper, quer rodar parte da próxima temporada no Brasil. “Não sei se vai ser possível”, comentou Matt. Mas Ross admite que uma referência ao País pode aparecer na segunda temporada, ainda não confirmada pela Netflix – mas parece impossível de imaginar que não seja.

Os irmãos têm várias ideias sobre o que deve acontecer. “Eles lidaram com o monstro, mas não sabemos o que esse monstro é, o que é essa outra dimensão”, contou Ross. “E o portão ainda está lá, aberto.” 

Os Duffers, que decidiram ser cineastas quando ainda eram pequenos, cresceram assistindo aos filmes de Steven Spielberg e John Carpenter. “O tom dos dois é muito diferente, mas ambos falam de pessoas comuns, com as quais os espectadores podem se identificar”, garantiu Matt. “São crianças parecidas com as crianças que éramos, pais parecidos com os nossos.

Queríamos personagens com os quais nos identificamos, que entram em contato com algo extraordinário.” Também acham que não vai ter como não serem influenciados pelas respostas do público. “É muito bacana ver ao que as pessoas reagem”, ressaltou Matt. 

Como as crianças de Stranger Things – Will (Noah Schnapp), que desaparece, e seus amigos Mike (Finn Wolfhard), Lucas (Caleb McLaughlin) e Dustin (Gaten Matarazzo) –, eles jogavam Dungeons & Dragons. “Nascemos um ano depois de quando a série se passa”, lembrou Ross. “Mas acho que, como as crianças dos anos 1980, nós também crescemos sem internet e celular. Não sei como é ser garoto hoje, mas sua mãe pode mandar uma mensagem dizendo que é hora do jantar.” 

Winona Ryder pode ser o nome famoso do elenco, mas as verdadeiras estrelas são as crianças – além dos quatro meninos, também Millie Brown, que faz a misteriosa Eleven. Cerca de mil atores foram testados. “Você vê logo quais são as crianças certas”, disse Ross. Seu irmão completou: “Também conseguimos escrever direcionados para suas qualidades, porque só tínhamos um roteiro pronto. Finn tem uma coisa meio neurótica, a gente então adicionou isso no Mike. Dustin era um personagem nerd mais tradicional e Gaten é Gaten. Isso que é legal da TV, é maleável”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.