Iara Morselli / Estadão
Iara Morselli / Estadão

Internada com covid-19, Glória Menezes apresenta melhora

Atriz não precisa mais usar respirador nasal durante recuperação, mas ainda não recebeu alta do hospital

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de agosto de 2021 | 19h52

Internada no hospital Albert Einstein em decorrência da covid-19, Glória Menezes vem se recuperando e não precisa mais fazer uso de um respirador nasal, feito para aliviar os sintomas da doença.

A informação foi confirmada pelo assistente da atriz, Tadeu Lima, ao jornal O Globo, neste sábado, 14. De acordo com ele, a família já revelou a Glória sobre a morte de seu marido, Tarcísio Meira, que, assim como ela, foi internado com covid-19 em 6 de agosto, mas em situação mais grave, e morreu na última quinta-feira, 12. "Ela recebeu a informação com muita, muita, muita, muita tristeza", contou o assistente.

O Estadão entrou em contato com a assessoria do hospital, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem. De acordo com o boletim médico mais recente, divulgado às 15h28 de quinta-feira, 12, a atriz estava em "recuperação e desmame progressivo do oxigênio".

No dia 7 de agosto, Mocita Fagundes, casada com Tarcísio Filho, falou sobre o diagnóstico de covid-19 pelo casal: "Estavam isolados e, num descuido, foram contaminados. Essa doença é traiçoeira. Mas estamos muito fortalecidos". Glória Menezes e Tarcísio Meira já haviam recebido a segunda dose da vacina contra o novo coronavírus no último mês de março. Cabe ressaltar que a infecção em pessoas que já foram imunizadas não indica ineficácia de vacinas (clique aqui para entender mais).

Com contrato fixo na Globo desde 1967, quando esteve na novela Sangue e Areia, Glória Menezes não teve seu contrato renovado em setembro de 2020. Ela contracenou ao lado de Tarcísio Meira na primeira novela diária da história da televisão brasileira, 2-5499 Ocupado, da TV Excelsior, em 1963. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.