Divulgação/Rede Globo
Divulgação/Rede Globo

Inquérito sobre morte de Domingos Montagner é concluído

Morte foi considerada atípica e acidental, mas falta de sinalização no local foi constatada pela Polícia Civil de Sergipe

O Estado de S. Paulo

09 Novembro 2016 | 12h58

O inquérito responsável por investigar a morte do ator Domingos Montagner, em 15 de setembro, nas águas do Rio São Francisco, foi concluído na noite de terça-feira, 8, como noticiou o Jornal Nacional, da TV Globo. 

Antônio Francisco de Oliveira Filho, delegado da Polícia Civil de Sergipe, afirmou que a morte do ator foi considerada atípica e o caso, um acidente. 

Ao visitar o local da morte de Domingos Montagner, às margens do rio, na cidade de Canadé de São Francisco, a Polícia Civil constatou a ausência de sinalização sobre o risco de afogamento  e de salva-vidas. 

Como revelado pelo Jornal Nacional, a investigação ouviu 14 pessoas, inclusive Camila Pitanga, atriz que acompanhava Domingos Montagner no momento em que o ator submergiu e morreu. 

Em depoimento dado ao Fantástico, também da TV Globo, a atriz contou que ela e Domingos decidiram dar um mergulho no  São Francisco para se despedir do rio. 

Os dois foram levados por uma forte correnteza. Camila se segurou em uma pedra, mas Domingos não teve a mesma sorte. 

“Eu queria salvar o meu amigo e vi que não podia. Provavelmente alguma coisa devia estar segurando a perna dele quando ele submergiu. Pensei na minha filha nesse átimo de segundo. Ele sumiu. Em nenhum momento ele me pegou (para tentar escapar da correnteza). Ele me salvou. Sabia o que estava acontecendo e me deu a oportunidade de viver. É uma coisa muito generosa. Ele só dizia 'Ca, eu não tô conseguindo.' Eu vi o último olhar dele”, disse a atriz. 

Domingos Montagner tinha 54 anos e era atuava na novela Velho Chico como o personagem Santo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.