Humor, sempre

Fazer rir:"Acho que a gente tem uma orientação para isso desde sempre, vem da maneira como olhamos o mundo. Não é só para o ator, mas é um adianto na vida de qualquer pessoa saber olhar para as coisas com humor"Personagens:"Os meus personagens partem de uma indignação minha, das coisas que me deixam cabrera, das coisas que me aporrinham muito. Poder fazer graça com isso é uma maneira de expurgar."Subversão:" A temática de O Sistema é subversiva, mas o riso é sempre subversivo. É um conceito sociológico. Você não tem humor se não tiver o estabelecido. E, neste sentido, o humor é sempre subversivo, não importa a maneira como é feito. Mesmo que seja o humor mais vulgar, ainda assim será subversivo."Terça Insana:"O projeto deu voz para o ator-autor, que começaram a se arriscar a partir dali. Para a minha trajetória especificamente, avalizou minha condição de autora, de poder escrever e subir no palco para falar um texto de minha autoria. Aprendi que não quero fazer um humor tão popular ao ponto de fazer concessões para que a piada seja entendida."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.