Cristina Padiglione, cristina.padiglione@grupoestado.com.br,

21 de março de 2011 | 09h00

A Globo deixa de exibir os 10 episódios de Os Simpsons reclassificados pelo Ministério da Justiça como impróprios para menores de 12 anos, mas não descarta a possibilidade de adequá-los com os devidos cortes no conteúdo dito ofensivo (o MJ cita menções a alcoolismo, drogas lícitas e violência). Outros cinco episódios da safra reavaliada (5ª e 6ª temporadas) foram reclassificados para maiores de 10 anos, faixa sem adequação horária, sendo daí mantidos nas manhãs da emissora - apenas sai o selo L (Livre) e entra o "10" na tela. A Globo informa que não segue ordem cronológica na exibição da animação e que a suspensão dos episódios não afetará a apresentação do desenho.

 

Rockgol é outro

Eis aí um frame do novo cenário do Rockgol, extraído do piloto do programa da MTV que volta ao ar hoje à noite, ao vivo de tudo, com o ex-ESPN Edu Elias e sete câmeras - uma está no teto e outra, no banheiro químico, onde se destacam as cacas da semana.

 

34%

cresceu no Brasil o The History Channel em 2010, em relação a 2009, graças a séries como Trato Feito, Super Humanos e Caçadores de Tesouros

 

 

‘Referência de complexados vem da minha turma: é tudo ex-gay, futuro gay, ex-gorda, futura gorda’ Marisa Orth, sobre seu papel em Macho Man, novo seriado da Globo

 

 

 

Camaleões, novela mexicana exibida às 15h45 e que já valeu ao SBT advertências anteriores do Ministério da Justiça, também foi reclassificada para maiores de 12 anos, segundo o Diário Oficial da União de sexta-feira.

 

Com menções a drogas ilícitas e violência familiar, Camaleões não poderá ir ao ar antes das 20h. Mas, segundo o diretor do Departamento de Justiça, Classificação, Títulos e Qualificação (Dejus), David Pires, o SBT tem cinco dias úteis para adequar sua grade à troca de horário.

 

O caso é que o último capítulo de Camaleões vai ao ar já nesta sexta-feira, de modo que o SBT se livrou da obrigação de atender à determinação do MJ na prática.

 

Na Globo, nem rede social tem mais espaço gratuito: nomes como Facebook, Twitter, Orkut ou YouTube devem ser tratados como marcas. O assunto foi alvo de um comunicado interno distribuído pela rede na sexta-feira.

 

Todo filme publicitário que citar nomes de redes sociais será enquadrado pela Globo no conceito de multiplicidade - quando um filme publicitário expõe mais de uma marca -, o que torna o anúncio de 15% a 30% mais caro.

 

Um comercial do New Ford Fiesta, chamando para página no Facebook, teria detonado o alerta da Globo. O problema não é informar um endereço virtual, mas sim acrescentar a isso o nome da rede.

 

A cobertura sobre o Japão no dia 11 levou a Globo News à liderança de ibope na TV paga entre o público acima de 25 anos. A data deu ao canal a maior audiência do ano.

 

Paulo Barros volta ao cenário do Roda Viva hoje para gravar nova entrevista, no ar hoje mesmo, às 22h. Um outro Roda, gravado pelo carnavalesco antes do incêndio que atingiu escolas do Rio e seria exibido no carnaval, pereceu.

 

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
SEM INTERVALOCristina Padiglione

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.