Rede Globo
Rede Globo

Hoje tem virada em ‘O Outro Lado do Paraíso’

Estrela da novela das 21h, Bianca Bin fala sobre sua personagem, que vai escapar do manicômio pronta para dar o troco em todos seus rivais

Eliana Silva de Souza, O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2017 | 06h00

Desde sua estreia, a novela O Outro Lado do Paraíso, de Walcyr Carrasco, vem provocando as mais variadas reações no público e na crítica. O motivo principal seria que a trama tem temas pesados, como violência contra a mulher, discriminação racial e social, e tudo com muita maldade. Um dos personagens que mais sofre nas mãos do povo do mal é Clara, vivida por Bianca Bin, que já foi estuprada pelo marido e trancada em um manicômio pela família dele. Mas a hora da virada está chegando. E será nesta segunda-feira, 27, que haverá esse aguardado salto no tempo e, após dez anos, vamos ver como estão todos e como os personagens mudaram ou não seus destinos. 

+ Associação de Psiquiatria repudia cenas de ‘O Outro Lado do Paraíso’

E Bianca conta que está ansiosa por esse momento. “Sou apaixonada pela Clara e não aguento mais vê-la sofrer. Quero que ela dê logo a volta por cima e tenha consciência do seu verdadeiro valor. Mais do que fazer justiça, quero que ela seja muito feliz e recupere o amor do filho, que é um laço fortíssimo para qualquer mulher”, enfatiza a atriz, que mostra sua preocupação com sua personagem, tão massacrada nesse momento da vida. “A Clara não pôde vivenciar essa maternidade e teve esse direito tomado, foi um pedaço que foi tirado e arrancado dela. Sem contar que essa virada representa sequências mais leves. Até agora foi tudo muito intenso, de muita dor e sofrimento. Nessa volta, eles ainda vão estar ali, mas a Clara vai usá-los para fazer justiça. Vai estar mais forte”, afirma.

+ De Candinho a atual vilão da novela das 9, Sergio Guizé fala da importância de seu personagem

Independente das críticas sobre o andamento das tramas, Bianca destaca a importância de se falar desses assuntos espinhosos. “Acho que os temas abordados na novela são atuais e frequentes fora da ficção. Tratar da violência doméstica, por exemplo, é essencial porque ela existe e precisa ser combatida de forma severa. Espero que estejamos ajudando mulheres que passam por isso a terem coragem de denunciar. Isso é o mais importante”, conta. “Embora hoje, supostamente, a mulher esteja mais protegida legalmente, muitas não confiam nas pessoas responsáveis por fazer cumprir a lei. É preciso cobrar medidas eficazes de proteção para essas vítimas. Não dá mais para ler nos jornais todos os dias que mulheres continuam perdendo suas vidas mesmo depois de já terem denunciado seus agressores”.

Sobre as fortes cenas que sua personagem fez, Bianca fala que mexeram muito com ela. “Violência é um tema muito distante da minha realidade, muito delicado, ainda mais contra a mulher, não tem como não ter empatia com esse tema. Dói em mim, dói na atriz, dói na mulher. A violência contra a mulher em um relacionamento abusivo não se configura só na violência física, sexual.” 

“Durante a minha preparação, assisti a vídeos verídicos de espancamentos que me fizeram sentir como se tivesse levado um murro no estômago. O negócio foi tão forte que me incomodou fisicamente, fiquei com vontade de vomitar. Apesar disso, é esse incômodo que pode estimular as mulheres a denunciar e lutar”, relata.

E se esse marido agressor, o Gael, mudasse completamente? “O Gael é reincidente nesses crimes de violência contra a mulher e não sei se o amor deles sobreviverá a isso”, afirma a atriz. “Espero que não. Eu até acredito muito no poder transformador do amor e na regeneração do ser humano, mas jamais perdoaria algo do tipo.” “Jamais”, enfatiza.

E Bianca mostra sua satisfação ao contar sobre a cumplicidade do público. “Recebo mensagens por meio das redes sociais. Agora, o público, assim como eu, está ansioso por essa virada da personagem”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.