Mauro Pimentel/Estadão
Mauro Pimentel/Estadão

'Gratidão eterna a Gilberto Braga e sua genialidade', diz Glória Pires; veja repercussão

Autor de novelas como 'Vale Tudo' e 'Celebridade' morreu na noite de terça-feira, 26, aos 75 anos

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de outubro de 2021 | 07h38

Gilberto Braga, autor de novelas como Dancin’ Days (1978), Vale Tudo (1988) e Celebridade (2008), morreu na noite de terça-feira, 26, aos 75 anos.

O carioca foi vítima de uma infecção generalizada, decorrente de uma perfuração no esôfago, e estava internado havia dias no hospital Copa Star, em Copacabana.

Nas redes sociais, famosos lamentaram a morte do novelista e prestaram suas homenagens ao autor de histórias marcantes da TV brasileira.

A atriz Glória Pires postou uma foto ao lado de Braga em sua conta oficial no Instagram. "Gratidão eterna a Gilberto Braga e sua genialidade. Descanse em paz, querido", disse.

A também atriz Zezé Motta relembrou momentos marcantes com o autor. "Graças a você pude viver a Sônia em Corpo a Corpo, personagem que é lembrada até hoje. Foi um divisor de águas. Em 1984, graças a você falamos de racismo em horário nobre", disse.

Camila Pitanga, que viveu Bebel na novela Paraíso Tropical, também postou sua homenagem no Twitter. "Gilberto, minha gratidão a tudo o que vivi com você e através de você, com suas palavras, sua genialidade, sua escrita inconfundível", lamentou.

Já Susana Vieira, em sua conta oficial do Instagram, disse que "perdemos mais um grande brasileiro que fazia o Brasil torcer e sonhar".

Paolla Oliveira, que trabalhou na novela Insensato Coração (2011), de Braga, lamentou afirmando que "o Brasil perde um pouco da magia de grandes personagens, vilãs icônicas e boas reflexões em frente à TV".

"E o Gilberto se foi… Um mestre, contador de histórias inesquecíveis, companheiro de muitas décadas de ofício", disse a também autora de novelas Gloria Perez em suas redes sociais.

O ator José de Abreu relembrou a parceria com o autor. "Depois de fazer Ti Ti Ti, Roberto Talma me chamou para a sala do Daniel Filho, no 8º andar do prédio da Globo na Rua Lopes Quintas. Lá me convidaram para fazer o major Dornelles na minissérie Anos Dourados. Mais um sucesso estrondoso", disse.

Deborah Evelyn também expressou sua tristeza por meio de sua conta oficial no Instagram. "Que tristeza, que tristeza, que tristeza", lamentou. "Gilberto tão querido, com quem eu ficava horassssss conversando sobre filmes, música, livros, viagens".

Marcelo Médici classificou o autor como um "mestre da teledramaturgia brasileira e mundial". "Quem teve a sorte de acompanhar ao vivo a potência de novelas como Dancing Days, Água Viva e Vale Tudo, entre outras, sabe que ele absorvia e retratava a contemporaneidade como poucos. Um verdadeiro cronista, um gênio", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.