MICHEL ANGELO/DIVULGAÇÃO
MICHEL ANGELO/DIVULGAÇÃO
Imagem Cristina Padiglione
Colunista
Cristina Padiglione
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Globo quer reforçar ao mundo que sua produção vai além das novelas

A Globo vai à MIPCom, principal feira de audiovisual mundial, em Cannes, no início de outubro, tendo como principal vitrine a concepção de que sua fábrica de teledramaturgia vai bem além da telenovela – produto que mais carrega sua fama mundo afora. O recado a distribuidores e exibidores internacionais será basicamente este: a gente não faz só novela, também faz séries e um pouco mais. No momento em que séries de TV aparecem como grande atrativo para todos os países, exibir tal diversidade tem lá sua conveniência.Embora tenha apenas uma temporada – o que não conspira a favor de sua venda –, Dupla Identidade, de Glória Perez, é uma das grandes apostas da casa. O enredo protagonizado por Bruno Gagliasso recebeu o batismo de Ojos sin Culpa, para o mercado espanhol, e Merciless, para o inglês. O Rebu, na adaptação de George Moura, em 36 capítulos, será exportado como minissérie, condensado em 20 episódios. A Globo leva ainda Doce de Mãe, protagonizada por Fernanda Montenegro, que ganhou um Emmy por sua performance como Dona Picucha. Firmar-se como produtora de séries não implica abandonar o filé mignon de suas vendas. Assim, as novelas mantêm seu espaço no catálogo internacional. Nesse contexto, destaque-se o fato de A Regra do Jogo, que acaba de entrar no ar aqui, já ser oferecida ao mercado para pré-vendas, em Cannes, dentro de um mês. O título cruzará fronteiras com o mesmo mote anunciado aqui: “De João Emanuel Carneiro, o autor de Avenida Brasil”. Carminha & cia., afinal, compõem o enredo mais exportado da Globo: para 134 países.

Cristina Padiglione, O Estado de S. Paulo

08 de setembro de 2015 | 03h00

Essas pragas. A novela da Record ainda vive a 2ª das 10 pragas do Egito e já é, em si, uma praga para a Globo. Aqui, Sérgio Marone ganha make up para as úlceras da 6ª praga, quando o faraó Ramsés insiste em não libertar os hebreus da escravidão em Os Dez Mandamentos.
Martha Nowill também está em A Garota da Moto, série produzida pela Mixer para o SBT e a FOX. O programa está em fase de gravação, com locações simpáticas no bairro da Barra Funda, em São Paulo, e ainda não tem previsão de exibição.
Por falar em FOX, o canal amplia, a partir de outubro, o volume de teasers e trailers de lançamento para O Grande González, primeira série do Porta dos Fundos inédita para a TV. Estreia aqui em novembro, com boas perspectivas de seguir para os canais FOX fora do Brasil. 
A atriz e comediante Cláudia Rodrigues é madrinha da Campanha de Esclerose Múltipla, doença da qual sofre, encabeçada pela Academia Brasileira de Neurologia (ABN). A doença, aliás, tem ganho espaço para o conhecimento e reflexão do público, por meio de Romero Rômulo (Alexandre Nero) na novela das 9, A Regra do Jogo.
É muito coisa de brasileiro ver um dos seus maiores astros protagonizando um seriado internacional e ficar falando do seu sotaque estrangeiro. Nem os colombianos se incomodaram tanto quanto os brasileiros. Talvez eles não sejam tão vira latas. Ou, como diria o tal personagem, tão chuchos.”
Bruno Mazzeo NO FACEBOOK SOBRE O SOTAQUE DE WAGNER MOURA EM ‘NARCOS’, SÉRIE DA NETFLIX

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.