Divulgação
Divulgação

'Game of Thrones' ultrapassa a série de livros na qual é baseada e estreia sexta temporada

Novos episódios terão mistério e muitas dúvidas sobre personagens

Pedro Antunes, O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2016 | 03h00

Afinal, o que aconteceu com Jon Snow? Desde o fim da quinta temporada de Game of Thrones, no ano passado, essa questão atormenta aqueles que acompanham a saga épica e fantasiosa levada para a TV pelo canal por assinatura HBO. E, até aqueles mais ansiosos, que aceitam descobrir spoilers para acalmar os nervos, foram obrigados a viver meses com a indagação na cabeça e o coração na boca. Afinal, ninguém sabe.

Talvez seja o início de temporada mais angustiante desde a estreia de Game of Thrones, adaptação da série de livros As Crônicas de Gelo e Fogo, do escritor George R.R. Martin, em 2011. O produto levado para a telinha por David Benioff e D. B. Weiss, enfim, ultrapassou as toneladas de páginas escritas por Martin.

A obra literária segue inacabada. O último livro da série, o quinto volume, chamado A Dança dos Dragões, saiu em um longínquo ano de 2011. E seu sucessor, Os Ventos de Inverno, tem seu lançamento adiado por Martin ano após ano. A última previsão é que o tijolo literário chegaria às prateleiras até o fim de 2016, mas a data de lançamento já foi empurrada para 2017. Há ainda mais um livro para sair, chamado provisoriamente de O Sonho da Primavera, mas é bom os fãs da literatura dura e fantástica de Martin esperarem sentados por esse aí.

Todos aqueles que acompanham Game of Thrones, na forma que for, nos livros, na TV ou em ambos, começam a sexta temporada, cuja estreia mundial, incluindo o Brasil, ocorre neste domingo, às 22h, no canal por assinatura, em pé de igualdade. Desde que a série completou o ciclo da quinta temporada, naquela noite de 14 de junho, somente Martin, os produtores da série e o elenco têm alguma ideia de qual será o rumo tomado pelo seriado. Atenção, a partir deste momento, os acontecimentos da quinta temporada serão debatidos, assim como as previsões para o sexto ano. Ou seja, spoilers à frente.

Inicialmente, Jon Snow está definitivamente morto. O jovem, um dos últimos queridinhos dos fãs a sobreviver à carnificina que é Game of Thrones, chegou ao posto de comandante da guarda chamada Patrulha da Noite, que guarda uma muralha gigantesca de gelo que divide o continente fictício de Westeros dos perigos que existem ao norte dali – nisso inclua gigantes, homens selvagens que vivem no norte e zumbis de gelo praticamente imortais, responsáveis por protagonizar muitos pesadelos por aí. Snow fez o que pôde para defender o continente, criou alianças, fez inimigos, e morreu pelas mãos dos seus companheiros. Foi dezenas de vezes esfaqueado por integrantes da Patrulha, como um César traído por aqueles que mais confiava.

E aquilo doeu. Qualquer um que se inicie na série sabe que é preciso aprender a não se apegar aos protagonistas. Foram dezenas de mortes trágicas ao longo desses cinco anos (ou cinco livros). Depois de tantas perdas e a sobrevivência de Snow até então, foi inevitável não imaginar que ele seria, de fato, o mocinho da história, responsável por guiar a trama até um fim razoavelmente feliz. Mas não é assim que Martin trabalha.

O sangue que esparrama pela neve, ao redor do corpo quase sem vida de Snow, na imagem do fim da quinta temporada, diz o que precisa ser dito: o personagem morreu. Isso não significa, contudo, que os fãs não tenham se apegado a outras possibilidades de que talvez ele reviva. O ator Kit Harington, que vive o personagem, afinal, foi visto nas filmagens da sexta temporada. E Game of Thrones já mostrou alguns personagens que retornaram do mundo dos mortos. Snow será um desses? Vamos descobrir hoje.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.