Phil McCarten/Invision for the Television Academy
Phil McCarten/Invision for the Television Academy

‘Game of Thrones’ e ‘Veep’ são as grandes vencedoras do Emmy 2015

Jon Hamm se despediu de 'Mad Men' com o prêmio de melhor ator

Leandro Nunes , O Estado de S. Paulo

21 de setembro de 2015 | 00h45

As séries Game of Thrones e Veep ganharam quatro troféus cada uma, na entrega do Emmy, o Oscar da televisão, em cerimônia acontecida no domingo, 20, em Los Angeles. Terminaram a noite como as principais vitoriosas. Veja lista de vencedores.

Em tempos nos quais a realidade de pessoas transgênero tem sido discutida e representada nas artes, não foi diferente no Emmy, que mostrou sua diversidade do tapete vermelho para o palco. “Quero dedicar este prêmio para a comunidade transgênero”, dedicou o ator Jeffrey Tambor de Transparent vencedor na categoria série de comédia.

O ator vive Mort, um pai de três filhos adultos. Um dia, ele reúne a família e anuncia que vai se assumir transgênero. “Eu tive um professor que costuma dizer: ‘quando você atuar, tem que fazer como se dependesse de sua vida’. Agora, eu tenho a oportunidade de atuar porque a vida dessas pessoas depende disso”, completou.

Transparent ainda ganhou mais duas estatuetas nas categorias direção e ator convidado. Veep superou conquistando os prêmios de melhor série comédia, melhor roteiro, melhor ator coadjuvante (Tony Hale) e melhor atriz(Julia Louis-Dreyfus).

O drama teve destaque com Game of Thrones, que venceu como melhor série de drama e, das 11 indicações a que concorria, abocanhou os prêmios de melhor roteiro e direção. O ator Peter Dinklage fez sua parte e saiu da festa como melhor ator coadjuvante e não esqueceu de agradecer o grande criador do mundo de Westeros, George R. R. Martin. “Ele é a minha inspiração, assim como de milhões de pessoas.”

No time feminino, Viola Davis tornou-se a primeira mulher negra a vencer o prêmio de melhor atriz pela séria How To Get Away With Murder. Emocionada, citou uma frase da ativista negra Harriet Tubman (1822-1913), conhecida como Black Moses (Moisés Negro). “Em meus sonhos e visões, eu via uma linha, e do outro lado da linha estavam campos verdes e floridos e lindas e belas mulheres brancas, que estendiam os braços para mim ao longo da linha, mas eu não poderia alcançá-las”, disse. “Deixem-me dizer uma coisa: a única coisa que separa as mulheres de cor de qualquer outra pessoa é oportunidade. Você não pode ganhar um Emmy por papéis que simplesmente não existem.”

A estatueta de melhor ator serviu de despedida para Jon Hamm por seu papel em Mad Men, que encerrou a sétima e última temporada. 

Tapete vermelho

Uma cor? Amarelo. Um detalhe? Correntes. Um decote? Ombro a ombro. No tapete vermelho do Emmy 2015, foram confirmadas algumas tendências apontadas nas passarelas. Mas, em termos de moda, quem brilhou mesmo foi a atriz Kerry Washington com um vestido de Marc Jacobs desfilado na última quinta, 17, na Semana de Moda de Nova York. Isso é que é fast fashion!

As duas principais concorrentes da noite Robin Wright e Viola Davis apostaram em vestidos preto e branco de estilos diferentes. Robin optou por um longo que contornava a silhueta, enquanto Viola foi com um clássico branco, bordado de preto – que lhe caiu muito bem, por sinal.

Já nas redes sociais, as jovenzinhas receberam muitas curtidas. Sarah Hyland, a adolescente de “Modern Family”, chamou a atenção com um modelo vinho da grife Zac Posen e joias do mesmo tom, e Kiernan Shipka, a filha de Don Draper, de “Mad Men”, ousou com um vestido curto da Dior sobreposto a calça de alfaitaria preta. Nos Estados Unidos, hoje, ela é apontada como a nova queridinha dos fashionistas. Está na moda por lá falar bem de seus looks.

Entre as consagradas, Claire Danes acertou com um modelo moderno, adornado por correntes de metal nas alças e nas costas, da Prada. Sofía Vergara, sempre diva, causou mais uma vez em um longo de paetês da St. John, que realçava suas formas (e que formas!).

A noite estava muito quente e vestidos decotados com cores fortes surgiram aos montes. Nenhum deles tão marcante quanto o tricolor escolhido por Danielle Brooks, que chegou a rodopiar no tapete vermelho. Quem não quis errar optou pelo preto, entre elas as comediantes Amy Poehler e Julia Louis-Freyfus, e a atriz Taraj P. Henson. Até Lady Gaga foi de preto. Dessa vez preferiu não arriscar. / COLABORARAM MARIA RITA ALONSO E GIOVANA ROMANI 

Tudo o que sabemos sobre:
Televisão,Emmy

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • Netflix divulga as 5 séries internacionais preferidas do público brasileiro
  • Projeta Brasil do Cinemark apresenta filmes brasileiros por apenas R$ 4
  • Glória Maria faz cirurgia para remover lesão cerebral e passa bem
  • ‘Sonic - O Filme’: Internautas aprovam ‘reforma’ do personagem; assista
  • Lollapalooza Brasil 2020: confira o line up por dia 

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.