Paulo Sampaio/AE
Paulo Sampaio/AE

Galisteu batiza o filho Vittorio em festa para 400 pessoas

A apresentadora de TV chamou o florista Vic Meirelles para ajudar nos preparativos do batizado

Paulo Sampaio, de O Estado de S.Paulo,

28 de novembro de 2010 | 22h08

Sentado ao lado de uma onça empalhada e de uma cadeira emborcada cheia de girassóis, o florista Vic Meirelles diz que precisou usar toda sua criatividade nos preparativos do batizado de Vittorio, filho de Adriane Galisteu, que se realizou neste sábado, 27, com festa para 400 pessoas no Spa Sete Voltas, de Myrian Abicair.

 

"Ontem (véspera do batizado), às sete da noite, a Adriane disse: ‘Tá muito careta. Tá faltando o Vic aí’. Eu quase enlouqueci. Tive que me transformar em dona Myrian, para mudar tudo e, ao mesmo tempo, não descaracterizar o mundo dela", explica Vic, com três ursinhos de pelúcia no colo.

 

Adriane e o marido, Alexandre Iódice, aparecem por volta de meio dia no caminho que dá na capela. Com Vittorio dentro de um sling (espécie de tipóia de bebê), Adriane caminha de mãos dadas com o marido, enquanto algumas dezenas de fotógrafos se embolam à frente deles.

 

"Gente, chega. Eu preciso ir, depois vocês fazem mais fotos", diz Adriane, sorrindo alternadamente para as câmaras e para o filho, que tem cinco meses. "Coisa mais linda do mundo. Hummm, hammm, buu", faz uma repórter, olhando para Vittorio. Ela passa a irradiar suas impressões da festa, em voz baixa, para um pequeno gravador que leva na mão.

 

Correndo pela lateral, driblando arbustos e pulando bancos, diz: "Adriane está linda, nossa. Agora ela tá olhando pro Vittorio, de mãos dadas com o Alexandre. Ele ri para ela. Ri para o filho. Ri para as câmaras. Os dois formam um lindo par..."

 

Ao lado da igreja, um quarteto de cordas toca o outono de Vivaldi. Glória Maria aparece com as duas filhas, Laura e Maria, no colo, e duas babás. Comenta os hábitos alimentares saudáveis das meninas. "Quando elas comem um pedaço de chocolate fazem carinha de nojo. Não estão acostumadas. Se você perguntar o que elas comeram ontem, elas vão responder: arroz, feijão e 'bocoli’ (brócolis)", conta.

 

Os convidados, todos de branco, aguardam a noiva do lado de fora da capela. Do lado de dentro há mais cinegrafistas e fotógrafos do que padrinhos _ até porque Claudia Leitte, uma das madrinhas, ainda não chegou. Adriane e Alexandre, que também estão se casando, e os padrinhos posam na porta da igreja: "A gente faz essas fotos, depois vocês dão espaço para os meus convidados", diz Adriane, como se estivesse dando uma chance a um grupo de papparazzi .

 

Será. Helicópteros continuam a descer no local. "Será que agora é a Claudinha Leitte, gente?", perguntam-se os repórteres, simulando preocupação com o atraso da madrinha. Não, não é.

 

Andrea Guimarães, que organizou a festa, conta que programaram sete pousos de helicópteros. Mas Claudia Leitte foi de carro. Disse, quando chegou, depois do final da cerimônia, que "o piloto furou com a gente" e ela teve de acordar o motorista para trazê-los. Ela, o marido, Márcio, e o filho, Davi.

 

Claudia faz expressão de contrariedade para as câmaras, deixando claro que se chateou com o contratempo. Mas logo se recupera. "Me sinto como se estivesse no céu, com todo mundo de branco", diz.

 

Os convidados vão chegando: Beth Szafir, Marco Antônio di Biaggi, o delegado Nico, Geisy Arruda...Geisy Arruda? "Tinha muita vontade de conhecer a Adriane. Estou realizando um sonho", diz Geisy, que foi com o designer de sapatos Fernando Pires. Ela usa um modelo assinado por ele, de salto anabela de acrílico com 11 cm.

 

Cautelosa, dá passos muito curtos, inclinada para frente, como se estivesse em um patins, e evita fazer curvas no chão de paralelepípedo.

Pode comer? Ao lado da mesa dos brigadeiros, muitos e muito arrumadinhos, está uma moça do staff. "Já pode comer?", pergunta uma convidada. "Claro", diz a moça. "A gente tá fazendo reposição o tempo todo."

 

Em cada caixinha de madeira com plantas que decora a mesa está escrito Vittorio, com estrelinhas no lugar dos pingos nos is.

 

De acordo com Andréa Guimarães, foram feitos 5 mil doces. Toninho Mariutti, do bufê, serviu cuscuz, pene a la rabiatta, arroz de bacalhau, picadinho, farofa e salada. "Só de alface, foram 40 pés", diz.

Perto do café, cinco mulheres tentam acalmar uma sexta, que acaba de ver o ex-marido com a nova namorada.

 

"Se alguma de vocês falar com ele não é mais minha amiga!", avisa Regina Politi. Ela pede em voz alta para uma repórter para anotar: "Meu ex-marido é banqueiro e, na separação, fiquei só com 10% do banco. Agora, ele traz a namorada para uma festa onde sabia que eu estaria, Eu vou me recuperar, você vai ver" diz.

 

"Vai sim", diz a repórter.

 

Regina usa um modelo Cavali verde. É a única que não está de branco. Por que? "Acontece que vim de helicóptero, e não trouxe o convite que tem o mapa. O dress code está naquele. Foi erro da organização."

 

Sobremesa, café, e muita gente vai para o gramado atrás da casa, que dá acesso à piscina. Na varanda, João Gordo toca sucessos dos anos 70, como Sugar Sugar. Um louro cinquentão de cabelos louro-farmácia e a pele cor de terracota acompanha a música com golpes de franja. Apesar da incrível coleção de tufos e penteados na festa, de todas as cores e texturas, nenhum é páreo para o dele.

 

Os convidados começam a se retirar. A mãe de Vic Meirelles, Dudu, que trabalha na administração dos funcionários e do dinheiro do florista. diz que vai levar os ursinhos da decoração, a bandeja de prata e o jarro usados no batizado. "Isso tem cem anos, é da avó dele. Não deixo mesmo. E os ursos são da coleção que ele tem desde pequeno!"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.