Marcelo Paternoster
Marcelo Paternoster

Gabriela Kapim estreia programa 'Socorro! Meus Pais Comem Mal'

‘A estratégia das cinco cores no prato é ótima, um estímulo‘, diz a nutricionista Gabriela Kapim

Entrevista com

Gabriela Kapim

Eliana Silva de Souza, O Estado de S.Paulo

09 Março 2018 | 06h00

Depois de tentar mostrar para as crianças a importância de uma alimentação saudável e a necessidade de se experimentar todos os alimentos, a nutricionista Gabriela Kapim decidiu mudar de alvo, fazendo o mesmo com os adultos. “Temos crianças que comem bem com pais que comem mal e crianças que comem mal porque os pais comem mal. A minha ideia é unificar esses valores, pois as metas acabam virando para a família toda”, diz a apresentadora. 

Foram sete temporadas de Socorro! Meu Filho Come Mal e Cozinha Colorida da Kapim e, nesta sexta, 9, ela assume esse desafio ao estrear o programa Socorro! Meus Pais Comem Mal, às 22h30, no GNT. 

Sentiu diferença entre os dois segmentos, crianças e adultos? Se sim, qual seria?

Crianças são bem mais transparentes, já os adultos são mais engessados e trazem a rotina mais impregnada. As crianças têm uma rebeldia maior, mas os adultos, uma resistência maior.

É mais fácil lidar com crianças ou com adultos?

Tenho mais facilidade de lidar com as crianças. Elas têm transparência, falam a verdade nua e crua, na lata, enquanto os adultos chegam com argumentos, defesas e justificativas, o que é mais cansativo.

Existem regras básicas para se conseguir alterar os maus hábitos alimentares?

Uma regra que eu tenho aplicado muito com os pais é: ‘desembalar menos e descascar mais’. Partindo desse princípio, a gente já melhora bastante a alimentação.

Como fazer um adulto comer algo diferente, com sabor nunca experimentado?

A mesma de uma criança: colocar o alimento na frente dele. A minha estratégia é fazer com que eles se coloquem à disposição, trazer os alimentos com preparos diferentes – em forma de suflê, purê, escondidinho – para mostrar que um mesmo ingrediente pode ter gostos e consistências diferentes.

Tem retorno do público para saber se o que você está passando, ensinando em seus programas está surtindo efeito?

Muitas famílias me procuram, mandam mensagem falando o quanto o programa ajuda e incentiva as crianças a comer melhor. A estratégia das cinco cores no prato é ótima, um estímulo. 

Mais conteúdo sobre:
televisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.