Flor de plástico? Dona Guiomar muda o canal

O verniz da Globo é muito poderoso, a ponto de fazer qualquer 'Negócio da China' parecer ajeitadinha

Patrícia Villalba, O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2009 | 00h05

Quando Cidadão Brasileiro estreou, em 2006 na Record, a mãe de uma amiga resumiu: o autor é da Globo, os atores são da Globo, mas não parece uma novela da Globo. História ambiciosa e muito bem amarrada, a estreia de Lauro Cesar Muniz na Record não foi tão vista nem elogiada quanto merecia porque sofreu com um certo improviso de produção - que, no fim, é o efeito "hum, não parece novela da Globo...".

Agora, a dona Guiomar já percebeu: muita água rolou debaixo da ponte da telenovela. E embora o verniz da Globo ainda seja muito poderoso, a ponto de fazer qualquer Negócio da China parecer ajeitadinha, é preciso reconhecer que Poder Paralelo é a melhor novela no ar. Está certo, sou apaixonada pelo Raj e aplaudo o Tony Ramos até em comercial de laxante. E Poder Paralelo não tem o colorido e o absurdo delicioso de Caminho das Índias. Mas até por isso, pela falta de fogos de artifício, prova ser tão boa.

É uma novela sem didatismo algum, oba. Sabe aquele tipo de cena em que o ator explica tudo bem explicadinho? O autor foi apresentando os personagens sem pressa, muito fino.

Apesar de ficar com o olhar meio vidrado às vezes, Gabriel Braga Nunes segura bem seu Tony Castellamare. O jogo da ficção dentro da ficção, que cerca Fernanda (Paloma Duarte) é muito bom. Atriz, ela tem um caso com Bruno (Marcelo Serrado) ao mesmo tempo em que vive uma amante na novela dentro da novela. Outro dia, a mulher traída, Maura (Adriana Garambone) está vendo Fernanda beijar seu par na novela fictícia, quando Bruno aparece. A mulher elogia a atriz, sem saber que é rival. Ele sente indisfarçável ciúme. Divertido.

Há mil sutilezas, ótimas sacadas. Como quando o delegado Telônio (Tuca Andrada) batizou a investigação em torno de Castellamare como Operação Temporada de Caça. E as cenas do bando de mafiosos liderados por André Abujamra - onde estava escondido aquele Roberto Birindelli (Tucci)?

A se lamentar apenas a direção de arte e figurinos, que não têm feito jus ao texto e à direção. Se as flores em cena são verdadeiras, não sei, mas algo faz com que pareçam de plástico. Fernanda foi criada para ser mulher fina, superestrela, mas se veste feito diva de novela mexicana. É numa dessas que a dona Guiomar muda de canal.

Tudo o que sabemos sobre:
TVeLazerquanto drama: novela

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.