Craig Sjodin/ABC
Craig Sjodin/ABC

FlashForward: Que futuro é esse?

Joseph Fiennes fala da atração de mistério que chega ao AXN com o peso de candidato a ‘novo Lost'

Etienne Jacintho - LOS ANGELES ,

22 Fevereiro 2010 | 10h45

Antes de estrear nos EUA, FlashForward, que chega ao Brasil nesta terça-feira, às 22 horas, no AXN, fez barulho por levar Joseph Fiennes (do filme Shakespeare Apaixonado) à telinha e por reunir dois mortos de Lost - Penny (Sonya Walger) e Charlie (Dominic Monaghan) - em uma nova atração de mistério da ABC, emissora que está apavorada com o fim de Lost e precisa encontrar um substituto urgente.

 

Após a estreia, o frenesi diminuiu. O piloto da série é, sim, intrigante e remete a Lost pela riqueza das cenas de catástrofe. O enredo, porém, teve de passar por ajustes. FlashForward foi exibido nos EUA até o 10º episódio e sofreu uma pausa criativa. O break deve ter sido consequência da queda de audiência da série naquele país. Os números, no entanto, não significam falta de qualidade. FlashForward vale pela história e pelo protagonista, um galã que, claro, recusa o rótulo.

 

Na apresentação da série à imprensa internacional, na qual o Estado estave presente, Joseph Fiennes contou que não gosta da definição de personagem principal e compara FlashForward a Lost, mas não pelo enredo, e sim pela dinâmica de elenco. "Lost pavimentou o caminho deste tipo de televisão com um elenco grande e variado", afirma Fiennes. "FlashForward segue os personagens por um período para tentar chegar a uma conclusão do motivo pelo qual todas as coisas aconteceram. Então, sinto que todos os personagens são principais, já que você vai enxergar todas as histórias de todas as pessoas. Mark (personagem de Fiennes) é só um condutor."

 

Na série, Mark é um detetive do FBI que, após um estranho evento mundial, acaba se tornando peça importante em uma investigação. O primeiro episódio traz a catástrofe: por 2 minutos e 17 segundos, quase todas as pessoas do mundo sofrem um apagão. Neste tempo em que estão desacordadas, elas se veem no futuro, mais precisamente, no dia 29 de abril de 2010, seis meses após o evento. Mark tem, em sua visão, um mosaico com pistas da investigação do flashforward mundial. Sonya Walger é Olivia, a mulher de Mark, e Dominic Monaghan aparece apenas mais tarde na trama.

 

"Li o roteiro e achei bom e divertido. A premissa é audaciosa com o blecaute global", diz o ator. "Tem uma vibe de 24 Horas, em que você precisa saber o que acontece a seguir. Por outro lado, tem esse personagem muito centrado e fala da falibilidade das pessoas. Os pequenos segredos e mentiras que as pessoas contam e que têm um efeito dominó, além do discurso da profecia ou da predestinação."

 

Fiennes acredita que hoje, a TV é quase como cinema. "E o iPhone é a nova televisão", brinca o ator, que está gostando da experiência na tela pequena. "Na TV, você recebe o roteiro uma semana antes de gravar e, às vezes, esse roteiro sofre mudanças no próprio dia de filmagem. As coisas estão sempre mudando e até parece jazz na forma de modificar e improvisar uma estrutura. É emocionante."

 

 

SIGNOS

No piloto da série, quando o caos se instala, Mark vê, em meio a carros batidos, um canguru. O animal aparecerá em outros momentos da série e o ator diz não saber seu significado. No entanto, em meio a uma lembrança, ele percebeu um detalhe: "Vi uma cena engraçada de Woody Allen lutando boxe com um canguru e percebi que o canguru só se move para frente (forward, em inglês). Ele não anda para os lados. E fiquei pensando que queria ter umas luvas para lutar com o canguru, pois eles são violentos, mas essa é uma coisa boba de menino (risos). Vamos esquecer esse assunto (risos)."

 

Outro mistério da série é a data. O que vai acontecer no dia 29 de abril? "Tudo tem um propósito e uma estrutura. Nada é por acaso. A data terá um significado, mas não posso dizer o que é", despista. "Mas será um prazer ver como as histórias dos personagens convergem. No dia em que todos os eventos se encontrarem, vamos entender como tudo funcionou e como as pessoas lutaram para concluir suas visões ou para mudá-las. Nesse dia, chegaremos a essa maravilhosa área onde você pode ser capaz de mudar o seu futuro."

 

Viagem feita a convite do AXN e da ABC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.