DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO

Fatos reais inspiram comédia 'A Cara do Pai'

Leandro Hassum estreia dia 11 sitcom especial de fim de ano, da Globo, sobre relação de pai e filha

Gabriel Perline, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2016 | 04h00

Por quase 16 anos, Leandro Hassum provocou risos por situações que envolviam seu antigo peso. Vestido de maiô, entalado em uma passagem, ou se matando de comer em uma churrascaria foram alguns dos esquetes manjados que protagonizou nos humorísticos da TV, tendo como referência seus antigos 150 kg. Há dois anos sua forma física mudou. Uma cirurgia bariátrica e uma nova rotina de exercícios físicos o ajudaram a eliminar mais de 60 kg.

Vieram os elogios, e também as críticas. Ouviu de pessoas próximas que ele iria ‘perder a graça’ por deixar de ser gordo. E leu em uma revista que a Globo teria reduzido convites para novos projetos pelo fato de ter emagrecido. Pura ficção. Além de ser escalado para protagonizar duas temporadas de Chapa Quente, está à frente da sitcom A Cara do Pai, que, antes mesmo de estrear os quatro episódios previstos para a programação de fim de ano da emissora, recebeu a encomenda de uma temporada para 2017, com mais 12 capítulos. 

“Existe uma legião de viúvas do gordinho. É normal, eu não critico. Acho que as pessoas ficam muito presas a um tipo e esquecem que, acima de tudo, eu sou ator. E o ator está sempre acima do personagem”, disse o ator ao Estado, no intervalo da gravação de A Cara do Pai. “Acho que essa viuvez é um pouco em cima de Os Caras de Pau (2010-2013), que era um humor mais clown. E eu não faço mais este tipo de trabalho, me divertia muito com aquilo, mas surgiram outros tipos de trabalho, com outros tipos de humor. Eu me considero um comediante muito à frente de uma barriga. Minha comédia independe do meu tipo físico. Digo que ser gordo era uma das minhas piadas. Espero ter muitas outras para dar ao meu público. Claudia Jimenez uma vez me disse que botar um gordinho de malha já é meio caminho andado. Só que se não tiver talento, um bom texto e uma boa história, uma barriga não me sustenta.”

A convite da Globo, a reportagem acompanhou um dia de gravação da série, no Rio, e não passou ilesa às brincadeiras de Hassum. Em situações diferentes, fez os colegas de elenco gargalharem com seus improvisos, tanto verbais quanto gestuais. As cenas precisaram ser regravadas, já que o produto é uma comédia de situação, e o humor empregado pelo ator não era, digamos, propício ao enredo.

“Quando a gente está gravando, ele solta uma piada e faz todo mundo rir. Mas ele volta ao normal rapidinho, e a gente se ferra, porque não conseguimos parar de dar risada”, comenta a atriz Mel Maia.

A Cara do Pai estreia dia 11 de dezembro e mostrará a relação de Théo (Hassum) com a filha, Duda (Mel Maia). Divorciado de Silvia (Alessandra Maestrini), ele ganha a vida fazendo shows de stand-up e tenta provar para todos, inclusive a si mesmo, que é capaz de ser um bom pai. Nestas tentativas, ele acaba cometendo diversas trapalhadas, mas a filha consegue enxergar o bom coração do pai.

“Tentei trazer elementos mais consistentes para esta história”, diz o autor Daniel Aldjafre. “E como a gente apostou muito na relação de pai com a filha, o que entendi desde o princípio é que precisaria existir um humor que não fosse o farsesco, porque ele tira a gente da realidade. A gente queria que o público acreditasse que esse pai quer cuidar da filha, que ele está se esforçando, que os dois se amam. A gente precisava desta verdade para cativar o público. E por conta disso não dava para fazer um humor farsesco. Existe aqui um humor baseado em situações cotidianas, mais realista.”

Com direção de Fabrício Mamberti, a série é inspirada na relação de Leandro Hassum com sua filha, Pietra. A menina, de 17 anos, fará sua estreia como atriz nesta sitcom. “É uma maneira de homenageá-la”, explica o ator.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.