'Falta um humor diferente na TV'

Roteirista de A Grande Família faz sucesso com textos criados apenas para a internet

Gustavo Miller, O Estado de S.Paulo

13 de julho de 2008 | 00h54

A roteirista e escritora Adriana Falcão é daqueles casos cuja obra é muito maior do que o nome do autor. Pode perguntar por aí: todo mundo sabe o que são os programas televisivos Comédia da Vida Privada, Brasil Legal e A Grande Família, e o filme O Auto da Compadecida. Mas não é qualquer um que conhece a assinatura desses trabalhos - textos de Adriana, que colaborou em cada um deles.Nos últimos meses, Adriana vem escrevendo para uma nova mídia: a internet. Culpa de Laços, um filmete criado de forma despretensiosa para um concurso mundial de curta-metragens do YouTube. O vídeo tirou o primeiro lugar e rendeu muito mais do que um prêmio de US$ 5 mil e o direito de participar de Sundance, consagrado festival de cinema independente.A estrela do vídeo, sua filha Clarice, destacou-se tanto que hoje está no elenco de A Favorita. Já Adriana ganhou uma nova profissão: roteirista de série virtual - o seriado O Que Que É Isso? estreou na web há três semanas e terá 16 capítulos ao todo.Você tem dificuldades de escrever roteiros curtos para o chamado "tempo de internet", em que cada vídeo deve ter de 2 a 5 minutos?Eu adoro! Talvez por ter sido publicitária por um tempo, eu meio que peguei esse vício de síntese. Quando escrevo um livro, às vezes tenho a sensação de esticar a história. Leio livros, assisto a programas e peças de teatros e fico pensando: "Isso poderia ser mais rápido". É claro que vivemos nesse tempo que estamos sempre atrasados e correndo. Não sei o porquê, mas o fato é que me adapto muito bem a esse formato pequenininho. Gosto de contar uma idéia e, pá!, foi.Como é trabalhar com uma mídia tão nova? É desbravar uma coisa que eu não sei direito o que será amanhã. Mas acho que ninguém sabe também... Quando ganhamos o prêmio, fui para o Sundance com o pessoal do YouTube e percebi que eles também não sabiam para que caminho essa história toda vai dar (de produzir filmes para a internet). Algo que sempre me deixou chateada é que eu nunca pude participar do começo de nada, e pela primeira vez me sinto parte de algo que está começando e se descobrindo como funciona: como criar uma história de ficção para esse formato, como lidar com a interação do público e como fazer com que a publicidade invista nisso, que é o que existe em O Que Que É Isso?. Na internet ainda falta recurso, patrocínio. Com dinheiro, você contrata o roteirista, o dialoguista, o ator, o diretor...Por isso há várias séries amadoras muito criativas na internet, mas que não vão para a frente porque seus idealizadores chegam a fazê-las de seus próprios bolsos... Com 17 anos, a Clarice e um amigo pegavam uma câmera e saiam com roupas daqui de casa filmando qualquer coisa e pondo no YouTube. Mas chegou uma hora em que ela precisava ganhar dinheiro. Gente talentosa já se viu que há no mundo inteiro, mas, e aí, quem vai patrocinar essa turma? O YouTube é apenas um veículo.Não seria o caso de pegar esse pessoal criativo da internet e levá-lo para a TV?A internet é um celeiro de novos talentos. Tem muita besteira, mas muita coisa boa. A TV está precisando mais que nunca dessa mudança. Trabalho no melhor programa que está no ar atualmente (A Grande Família), porque tem um elenco maravilhoso, uma super-equipe que escreve comigo e que é muito afinada. Mas eu sinto falta de um outro tipo de humor na TV. Pôxa vida, a internet está aí cheia de gente legal! Eu tenho vontade de fazer algum programa na Rede Globo e levar essas pessoas que estão trabalhando comigo na internet. No O Que Que É Isso? eu trouxe a Clarice e o Félix, que fizeram Laços, para escreverem comigo. Estar com esses jovens cheios de nova idéias é ótimo. Se ficássemos apenas fazendo as coisas necessárias para ganhar dinheiro, a gente não teria tempo para descobrir o que eles descobrem.Mudando de assunto, como está sendo escrever para o oitavo ano de A Grande Família, que nessa temporada teve a chegada do bebê e a aposentadoria do Lineu?Estamos agora em 6, 7 roteiristas. Sempre varia. Que eu saiba, o ibope continua bacana, dentro do que se esperava. É sempre um prazer, é algo inesgotável. Essa história que vem lá do Vianinha (Oduvaldo Vianna Filho) e do Max Nunes é uma delícia. É o trabalho que pedi a Deus. Na tela do PCLaços (Ties) (www.youtube.com/celioclarice)Curta-metragem de Flávia Lacerda. Na história, uma menina foge do enterro do pai e encontra um garoto estranho. (www.youtube.com/celioclarice)O Que Que É Isso? (www.oquequeeisso.com.br)A série mostra o dia-a-dia de uma importadora de produtos de beleza, a Zen %. Publicidade criativa da Locaweb (www.oquequeeisso.com.br).

Tudo o que sabemos sobre:
adriana falcaogrande familiaweb

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.