Evilsásio Caó resolveu matar a fome

Faltava pouco para a meia-noite de sábado, quando o rapaz magro, de jeans e camiseta, saiu da fila na porta do Espaço Parlapatões. Sob o olhar surpreso de quem o reconheceu, o ator Lázaro Ramos foi até o carrinho de Fidélis e comprou uma tigelinha de milho cozido. Evilásio, que poucas horas antes era visto em alguma discussão com Juvenal Antena (Antonio Fagundes) ou trocando beijos com Júlia (Débora Falabella), na novela Duas Caras, matava a fome antes de entrar no teatro.Pode até ser que no Rio de Janeiro, cidade habituada a conviver com astros de TV, a cena passasse despercebida. Em São Paulo, não. A gente bota reparo. Ninguém gritou, nem se atracou ao ator em busca de um pedaço de roupa. Foi tudo muito elegante - dentro do possível, já que o ator lambuzava-se de milho cozido. Mas pairava no ar o espanto: Evilásio Caó come milho. Foi uma sensação semelhante à de um amigo ator, que avistou a atriz Letícia Sabatella (a Ana, de Desejo Proibido) no metrô de São Paulo, provavelmente a caminho de algum ensaio. As pessoas olhavam e talvez até achassem aquela mulher bonita muito parecida com a "moça da televisão". Mas onde já se viu ator famoso pegar transporte público?Cenas assim mostram que os atores fazem realmente as mesmas coisas que nós, os mortais. E há mesmo atores que fazem tudo isso sem convocar um batalhão de paparazzi - ou alguém acha que muitos daqueles flagrantes que lotam as revistas de celebridades não são forjados? Atores pagam contas, vão ao dentista e custam a achar vaga no estacionamento do shopping. Seus personagens, não.O espanto de ver Lázaro Ramos matar a fome na noite paulistana só se explica pelo fato de ele entrar em nossas casas todos os dias sem fazer nada que seja realmente cotidiano. O "naturalismo" das novelas, que diz imitar a vida real, não é tão perfeito. Personagem só pega o elevador se for para encontrar o amor de sua vida. Só paga conta em banco se for cena de merchandising. Em novela, ninguém pega metrô à tarde, sente fome de madrugada e, muito menos, come milho cozido na calçada. Entendeu porque é bobagem tratar novela como "retrato da vida real"? Pois é. e-mail: mvianinha@hotmail.com

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.