Eu, Tu, Elas, sem adultério

Big Love tem como tema a poligamia; mas, ao contrário do que parece, é uma série bem família

Etienne Jacintho, O Estado de S.Paulo

01 de setembro de 2007 | 23h07

Big Love chega à sua segunda temporada e deixa de lado a cara de novela para se tornar uma saga. Assim diz o chefe da família, Bill Paxton. Para o intérprete do polígamo Bill Henrickson, a série terá sabor de O Poderoso Chefão. Nada mais justo, uma vez que Família Soprano, também da HBO, chegou ao fim.Ter três mulheres pode parecer o paraíso para alguns homens. Mas essa situação às vezes pende mais para o inferno. Imagine ter três "esposas", com obrigações iguais com todas. Pior, imagine conviver com vários sogros e sogras! Está achando bom, caro leitor? Olha que isso não é tudo. É preciso sustentar três casas, criar todos os filhos, manter os três lares organizados e cumprir as demandas sexuais - haja Viagra! - e de carinho de todas as mulheres por igual. Pois assim é o retrato da poligamia na série Big Love - Amor Imenso, da HBO, cuja segunda temporada começa no próximo domingo, dia 9, às 22 horas. "Os personagens agora já estão conhecidos e a história vai se desenrolar mais. Meu personagem vai caminhar por áreas que lhe trazem mais questionamentos sobre seus valores", conta Paxton. "Haverá mais intrigas na família e a série se tornará mesmo uma saga." Na trama, Bill Henrickson é adepto da Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, uma ala dissidente dos mórmons que aceita a poligamia. Estima-se que 40 mil pessoas nos EUA vivem assim. E, como a poligamia é considerada crime naquele país, as famílias ainda precisam lidar com o preconceito e levar uma vida de mentiras, escondendo a situação matrimonial da sociedade. Big Love leva a marca HBO: é bem produzida, evita rótulos e não censura temas. Apesar disso, é uma série respeitosa e tem até o nome do bom-moço Tom Hanks nos créditos. O queridinho de Hollywood é produtor da atração - um trunfo para a boa aceitação do programa no conservador país de George W. Bush. Big Love já tem 3ª temporada garantida.A GRANDE FAMÍLIANa série, Bill Henrickson opta por seguir os passos de sua família e pede à primeira mulher, Barb (a bela Jeanne Tripplehorn), permissão para casar-se novamente. Aos poucos, o público percebe que a decisão não foi fácil. Bill queria uma família grande, mas Barb teve câncer e ficou impossibilitada de ter mais filhos. Além disso, ele estava à procura de um parceiro nos negócios. Foi aí que surgiu a mimada Nicolette, a Nicki - interpretada pela musa do cinema alternativo Chloë Sevigny -, filha do vilão Roman Grant (Harry Dean Stanton). Para alegrar Nicki e descentralizar o poder de Barb na família, Bill decide casar-se mais uma vez e a doce, porém imatura Margene (Ginnifer Goodwin) entra para a grande família.A primeira fase de Big Love apresentou a família Henrickson e abordou a dificuldade de Bill em satisfazer as três mulheres, os efeitos colaterais do abuso de Viagra, a dura tarefa de esconder da vizinhança seu estilo de vida, os problemas de cada uma das mulheres e as chantagens conduzidas pelo sogrão Roman. O ciclo terminou com Barb tendo de lidar com a humilhação pública, já que a poligamia da família é descoberta no dia em que Barb concorria ao título de Mãe do Ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.