Estreia em maio série francesa para TV sobre universo pornográfico

Programa conta a saga de família que administra um império de produção de filmes

Efe,

14 Abril 2011 | 12h22

PARIS - Xanadu, uma série francesa para TV sobre uma família da indústria da pornografia, estreará em maio no canal franco-alemão Arte, informou em comunicado o festival parisiense Series Mania.

 

Proibida para menores de 16 anos, a nova telessérie da Arte, realizada pela quebequense Podz, trata sobre a saga dos Valadine, que vive junto e administra um império de produção de filmes pornográficos.

 

Ao redor dessa família, vítima de neuroses e de conflitos secretos, e que em um mesmo imóvel divide sua vida pessoal e de trabalho, a série, de oito episódios de 52 minutos cada um, fala da ruptura entre gerações, da dificuldade para comunicar e querer-se.

 

"Uma série é, antes de tudo, personagens. As problemáticas são familiares, com os elementos clássicos de uma saga", explicou à Agência Efe o produtor, Jimmy Desmarais.

 

"Não é pornográfica, mas é proibida para os menores de 16 anos pela sua violência, pelo obscuro da história. Não há nenhuma cena gratuita, o que está em jogo é o humano, o emocional", acrescentou, destacando que se o espectador procura sexo vai ficar "decepcionado".

 

A roteirista Séverine Bosschem também negou no comunicado a intenção de propor algo erótico: "Quisemos romper a mecânica do pornô, destruir a excitação. Fui a algumas filmagens de pornôs para preparar a série e são ao mesmo tempo surrealistas e incômodas, mas em nenhum caso excitantes".

 

O produtor reconhece, no entanto, que o roteiro busca provocar desde o princípio: "É atrevido e atípico. Queríamos propor um tema e um estilo, mas desviando dos códigos, por este tema da sexualidade e da utilização estética dos corpos".

 

A produção se defende de quem viu em Xanadu uma crítica da indústria do cinema adulto, alegando que não se quis "fazer um documentário ou uma tese sobre o pornô, mas se trata da interpretação de seu autor a partir de um setor que envolve relações humanas particulares".

 

Interpretada por atores da televisão (Vanessa Demouy), do cinema (Julien Boisselier, Jean-Louis Foulquier), da Comédie Française, do teatro nacional da França (Jean-Baptiste Malartre) e do cinema erótico (Phil Hollyday) para os papéis principais, Xanadu apresenta uma "companhia eclética e heterogênea", segundo Desmarais.

 

"Convencidos pelo roteiro e pelo tratamento dos nus, os atores 'clássicos' aceitaram colaborar com o projeto", afirmou o produtor, destacando que a roteirista soube convencê-los de que a série não era pornográfica, mas trata sobre uma família.

 

Xanadu, nome da capital de verão do imperador mongol Kublai Khan, da residência de Charles Foster Kane no filme Cidadão Kane ou da casa imaginária do mágico Mandrake, segundo lembram os organizadores, é ao mesmo tempo o nome da telessérie e o da produtora de seus personagens.

Mais conteúdo sobre:
Xanaduséries de tv

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.