Encalhados, com orgulho

Os malvados e atrapalhados não têm vez na beijação. Pelo menos é isso que pensa o ator Luiz Guilherme, que coleciona vilões na telinha. Para ele, personagens do mal e os cômicos estão mais destinados à solidão. "Há novelas em que os vilões têm uma comparsa, mas nunca tive essa sorte", diz. "Sempre fiz homens maus e solitários e que, portanto, não beijavam, ou personagens de humor, que quando rola um beijo, é uma coisa caricata, nada de beijo de amor", continua. " Mas levo isso na boa, me divirto."A atriz Suely Franco concorda, e diz que a idade do ator também influencia na quantidade de beijos que ele dá na TV. "Quando eu era mocinha, beijava mais. E olha que agora a turma beija por qualquer motivo", fala a atriz, que viveu uma personagem que brincava justamente com isso. Mimosa de O Cravo e a Rosa passou a novela inteira tentando beijar Calixto (Pedro Paulo Rangel).Mas os atores ainda têm de contar com a sorte. Longe dos vilões e dos atrapalhados, Luiz Guilherme voltou ao ar na Record (Amor e Intrigas) na pele de um personagem que não tem pinta de que vai desencalhar tão cedo."Agora vivo um tímido que não quer namorar. Já não pareço o Gianecchini, se fico me fazendo de difícil na novela, não vou beijar nunca", brinca o ator. "Mas quem sabe o autor muda de idéia e resolve me transformar em um romântico e beijador?"

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.