João Miguel Jr./ Divulgação
João Miguel Jr./ Divulgação

‘Em Família’ tem estreia morna

Novela conta em ordem cronológica trajetória de Helena, mostra evolução de triângulo amoroso e nus discretos

João Fernando, O Estado de S. Paulo

04 de fevereiro de 2014 | 18h38

Momentos de fé católica e nudez despudorada marcaram a estreia de Em Família, nova novela das 9 da Globo, que começou na segunda. Em ordem cronológica, a trama de Manoel Carlos contou a história de sua última Helena, que nas duas primeiras fases do capítulo, ambientado no começo e no final dos anos 1980, foram interpretadas por Julia Dalavia e Bruna Marquezine, respectivamente.

Com rápidas imagens do Rio, a novela teve início no batizado da protagonista, em que após um longo sermão do padre, foi introduzida ao telespectador a família de Helena, que ainda bebê, passa por especulações sobre a proximidade com o primo Laerte (Eike Duarte/Guilherme Leicam), com que engata um romance na adolescência.

Na sequência, todos surgem no interior de Goiás, onde as cenas da primeira semana ficarão concentradas. Lá, o núcleo familiar de Helena mostra seu lado descontraído. Enquanto os pais dela conversam no quarto, sua tia Selma (Camila Raffanti) entra e os interrompe. Sem cerimônia, o pai da jovem, vivido por Oscar Magrini, caminha nu na frente da cunhada, o que causou rebuliço nas redes sociais. Nos primeiros minutos no ar, o nome do autor apareceu na lista dos assuntos mais comentados no Twitter no mundo. Aos poucos, outros personagens e atores também foram citados pelos internautas.

O triângulo amoroso que permeará a novela também foi apresentado de cara. Enquanto o casal de primos ensaia um namoro, o filho de empregados da família, Virgílio, encarnado por Arthur Aguiar e Fernando Rodrigues, descobre ter uma paixão por Helena, o que incomoda Laerte. Dominador e com ciúme doentio, o playboy passa as duas fases da trama brigando até com quem olha para a amada. Outro personagem de caráter duvidoso que se destacou foi Shirley, interpretada por Giovanna Rispoli na etapa inicial. Ao ver Helena se afogar, vilã mirim sente prazer em ver a amiga se dar mal e faz corpo mole para chamar socorro.

Um dos momentos de exagero do capítulo aconteceu em um sonho de Laerte. Ao querer presentear a namorada com um colar com pingente com símbolo da fênix, o personagem tem um devaneio feito em computação gráfica, que lembrou o fantasioso voo em um cavalo alado de Nazira (Eliane Giardini) no final de O Clone, em 2002.

Assim que a trama salta para o final dos anos 1980, há ênfase no comportamento explosivo de Laerte. Apesar de o possível casamento com Helena estar próximo, o jovem continua suas crises de ciúme, sempre rebatidas com provocações da protagonista, que de maneira didática para o telespectador, mostra seu jeito de mulher descolada e insiste em incluir Virgílio em sua vida.

No dia de uma reunião de família, Helena esbarra com Fernando (Antônio Saboia), o marido de sua outra tia, no corredor, ao sair do banho, deixando a toalha cair. A adolescente parece se divertir com o constrangimento do parente da nudez dela e, em seguida, anuncia o ocorrido para o restante da família para reforçar sua imagem de jovem e moderna.

Com a estreia morna, Em Família marcou 33 pontos no ibope (cada ponto equivale a 65 mil domicílios) na estreia. Sua antecessora, Amor à Vida, que na sexta-feira entregou audiência com o índice de 48 pontos, havia alcançado 35 pontos em seu primeiro capítulo, em maio de 2013.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.