Gshow/Fabiano Battaglin
Gshow/Fabiano Battaglin

Em dia de final, confira as estratégias e expectativas dos técnicos do 'The Voice Brasil'

Times de Ivete Sangalo, Iza, Michel Teló e Lulu Santos entram na última fase da competição na noite desta quinta-feira, 3

Julliana Martins, Especial para o Estado

03 de outubro de 2019 | 11h01

Os preparativos estão a todo vapor para a grande final da oitava edição do programa The Voice Brasil, que será na noite desta quinta-feira, 3. Mas se engana quem pensa que a emoção se reserva aos finalistas. Os técnicos Ivete Sangalo, Iza, Lulu Santos e Michel Teló revelaram ao Estado as expectativas para a final e como é a experiência de quem ocupa a famosa cadeira vermelha.

Após três meses de treinamento, que inclui não só ensaios para as apresentações, mas aulas de canto, fonoaudióloga e contato direto com a produção, quem é escolhido nas audições às cegas e chega até a final, na opinião de Lulu Santos, é quem sabe aproveitar a atenção, o incentivo e os recursos oferecidos. Mas não basta ter técnica. Único técnico desde a primeira temporada do programa, em 2012, Lulu conta que o trabalho de orientar um time é menos didático e mais psicológico. Ele vai disputar a final com a rockeira Lúcia Muniz representando o seu time.

"Os candidatos já têm seus graus de talento, assim muitas vezes o nosso maior trabalho é dar confiança e frear a ansiedade”, afirma. “Quem ouve e aprende com a experiência dos técnicos, certamente, só tem a ganhar. Mas só vence quem tem talento, garra, instinto e, sobretudo, equilíbrio.”

A participação no reality pode significar um empurrão na carreira dos candidatos, mas também impulsiona a vida de quem treina, e não apenas no lado profissional. ”A exposição semanal em horário nobre na Globo confere um nível de popularidade que só com a música eu não conhecia. O contato direto com a equipe de direção e produção, com meus colegas técnicos e, claro, com os candidatos ampliou e enriqueceu meu círculo de relações pessoais”, confessa Lulu, que lembrou ainda da edição passada, quando decidiu assumir o relacionamento com o marido Clebson

O sertanejo Michel Teló, vencedor da competição em todos os 4 anos em que ocupou a cadeira como técnico, revelou ao Estado que sentiu uma leve insegurança quando o convite para participar do programa surgiu, mas a experiência como integrante de algumas bandas foi fundamental para conseguir ensinar e também aprender com os candidatos. "Apesar dos 26 anos de carreira, não me achava tão apto a ser um técnico do The Voice Brasil, mas, como acho importante sair da zona de conforto e tentar algo novo, aceitei o desafio e isso foi maravilhoso pra mim. Quando pisei lá pela primeira vez e senti o clima, pensei ‘opa, vai ser legal, vai dar certo’."  

O fato de seguir invicto como o time vencedor não se deve a uma estratégia específica, garante Teló. Mas, se tem um fator diferencial para o sucesso no programa, ele acredita que seja a escolha do repertório, que acaba sendo também o maior desafio. E é por isso que a fase "ao vivo" - em que o público participa da votação, salvando um candidato - é tão esclarecedora para o cantor. "A gente vai sentindo quem realmente está na boca do povo e, nesse ponto, como é o público que vai decidir a final, escolher uma canção que emocione a galera, sem dúvida, é de grande valor."

Perguntado se esse ano vem o pentacampeonato, Teló ri e afirma ter batalhado para buscar essa conquista, mas confessa que não está fácil. "Se vier, vai ser um motivo de alegria, mas o nível tá muito alto e acredito que vai ser uma grande final", conta o cantor, que traz Tony Gordon como finalista.

Estreante no programa e tendo conquistado rápido o gosto do público, Iza terá como representante do seu time a cearense Ana Ruth e concorda com Teló em relação ao nível de talento. A presença de pessoas de todas as partes do Brasil, com diferentes histórias, timbres e vibratos, segundo ela, ajuda a enriquecer a competição. Curtindo a oportunidade de participar do The Voice Brasil, a cantora revela que a ansiedade já bateu na porta por ser a sua primeira final e não nega que a visibilidade tem sido muito positiva e está permitindo que a sua música atinja a outros públicos.

"Me sinto abençoada por participar de algo tão grande, por conhecer tantos artistas incríveis e talentosos. Além disso, a troca com o Lulu, Michel e Veveta é demais, me senti muito acolhida por eles", conta Iza.

Ivete Sangalo, que já revezou entre o The Voice Kids e o The Voice Brasil, sabe o que esperar de uma noite como essa. Ela chega na final com o candidato Willian Kessley, de quem já é fã e seguidora em todas as redes sociais. “Sou suspeita para falar porque estou completamente apaixonada pela voz dele. É um cantor de música popular de uma precisão, de um bom gosto, uma presença leve... Quando eu virei a cadeira para ele nas ‘Audições às cegas’, falei: ‘você é um forte candidato à final’. Ele ainda não era do meu time. Quando catei ele no 'Peguei', pensei: ‘esse menino vai longe’.”

A fase final do programa traz o sentimento de missão cumprida. Agora, os técnicos querem é se divertir e comemorar a decisão do público: ”Eu vou me deliciar com as apresentações. Nós, técnicos, escrevemos tudo que tínhamos para escrever até esse momento. A partir de agora as linhas da vida é que vão escrever. O público é quem vai decidir”, conta Ivete.

Confira aqui quem são os finalistas da oitava edição do The Voice Brasil!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.