Eles têm as estatísticas na ponta da língua

Em conversa de bar, todo mundo quer mostrar que sabe tudo, inclusive sobre esporte. As memórias são as mais bizarras. Surgem frases do tipo: "Lembro do gol de 1915", "do 15 de Piraporinha contra o Independente do Norte", etc.Mas tem gente que sabe e lembra, de fato, de lances, jogadores e curiosidades com precisão. É o caso do comentarista Paulo Vinícius Coelho, o PVC da ESPN Brasil, que é um almanaque ambulante. "Louco por futebol", ele segue métodos para não deixar escapar nada. "Assisto aos jogos anotando tudo e depois passo as informações para o computador". Já Marcelo Barreto, do SporTV, foi além. Na companhia de Armando Freitas, criou o Almanaque Olímpico SporTV (Ed. Casa da Palavra, R$ 49, parceria com o Comitê Olímpico Brasileiro, COB). Tanta informação não fez do apresentador um "sabe-tudo". "Acontecem imprevistos, sim. Em televisão, você só sabe como é na hora de fazer", conta Barreto, enquanto lembra de uma história da Olimpíada de 1992, em Barcelona. "Tem gente que vai dizer que já estava preparado, mas ninguém esperava a vitória do Rogério Sampaio (judoca), tivemos que correr atrás da família dele."

Thaís Pinheiro, O Estado de S.Paulo

16 de agosto de 2008 | 23h21

Tudo o que sabemos sobre:
esporteOlimpíadas de Pequim

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.