Eles falam português também

Produtos nacionais e atrações dubladas fazem sucesso na TV paga

Etienne Jacintho, de O Estado de S. Paulo

31 de julho de 2010 | 16h00

Com 2 milhões de novos assinantes em um ano e meio, os canais pagos não só já inspiram a programação da TV aberta - que exibe com êxito séries de um gênero antes segmentado a pagantes de TV - como também tentam, cada vez mais, diminuir a barreira existente entre eles e os canais abertos. Há alguns anos, as emissoras por assinatura vêm se adaptando aos costumes nacionais, aumentando o número de produções locais e até mesmo falando português.

 

Segundo dados do Ibope, no primeiro semestre de 2008, as cinco primeiras posições no ranking de audiência de TV paga eram ocupadas por canais nacionais ou dublados. Já no mesmo período deste ano, dublados e nacionais se estendem até o 10º lugar entre os mais vistos (veja ranking na pág. 5).

 

Dublados

Entre os canais internacionais, a TNT foi pioneira em captar essa preferência nacional. Dublou atrações e permaneceu no primeiro lugar de audiência entre os canais pagos por anos e anos.

 

Hoje, a TNT ainda está na liderança entre os canais de filmes, mesmo com a forte concorrência. Dos cinco canais Telecine, o mais visto é o Pipoca - dublado. Quando lançou seu segundo canal em alta definição, o Telecine não pensou duas vezes antes de eleger o Pipoca HD. E a Globosat, satisfeita com os números do Telecine Pipoca, criou outro canal de filmes dublado, o Megapix, que já roubou da HBO a 20.ª posição no ranking dos canais mais vistos da TV paga. Para tentar abocanhar seu lugar de volta, o grupo internacional já dubla as atrações da HBO2, o segundo canal de filmes. O HBO Family também apresenta programas em português.

 

Para a TNT, o aumento de canais de filmes dublados não é preocupante. "Estamos vendo que as outras emissoras estão aumentando o número de espectadores e isso cria um cenário de competição saudável", afirma Pablo Corona, diretor de programação da TNT para América Latina. "Felizmente, a TNT ainda é líder na TV paga, nos pacotes básicos, no Brasil."

 

Corona conta que, no começo, o canal tinha conteúdo misto, com programas dublados e legendados. Com o tempo, eles perceberam que os telespectadores preferiam as atrações dubladas. "Isso foi também confirmado por meio de conversas com colegas de São Paulo, com operadores de cabo e com a audiência em geral, além da nossa equipe de pesquisa. Tudo indicava que dublar todo o conteúdo seria um sucesso. Então, tomamos a decisão de dublar 100%."

 

Polêmica

Em meados de 2007, a Fox tomou uma decisão arriscada e passou a oferecer sua programação dublada. Os fãs de séries como 24 Horas chiaram, mas o canal hoje prova que acertou em cheio. "A audiência de fato cresceu gradativamente desde que o horário nobre passou a ser dublado", fala Marcello Braga, diretor de Marketing da Fox. "Aumentou o número de pessoas que assiste à Fox e o tempo médio que elas passam assistindo ao canal." Braga afirma que a mudança foi baseada em pesquisas. "Tínhamos uma forte evidência da pesquisa qualitativa que havia demanda para mais programação dublada."

 

Com a bronca de alguns fãs de séries, que preferem ver as atrações com áudio original e legenda, a Fox investiu em tecnologia para oferecer essa opção nas maiores operadoras nacionais. "Não há reclamações. Já se pode optar em assistir ao programa dublado ou no idioma original", comenta Braga.

 

Para dar uma ideia do sucesso da medida, somente do primeiro semestre de 2008 ao primeiro semestre de 2010, a Fox subiu três posições no ranking dos canais mais vistos da TV paga. Saiu do 10.º e foi para o 7.º lugar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.