Ela é uma mulher de família

Em Brothers & Sisters, atriz faz uma pessoa normal ser interessante para o público

Etienne Jacintho, O Estado de S.Paulo

11 de janeiro de 2009 | 00h45

Rachel Griffths é uma das indicadas de hoje ao Globo de Ouro por sua atuação em Brothers & Sisters, que terá o último episódio da 2ª temporada exibido no próximo dia 21, às 23 horas, no Universal Channel. No set da série, a atriz conversou com a imprensa e disse que ficou triste com o fim do casamento de Sarah e Joe. "Em A Sete Palmos, fiquei 5 anos contracenando com Peter (Krause). Sou uma garota de compromisso", brinca. "Mas compenso isso com meus irmãos e irmãs. Adorei fazer a cena com Calista Flockhart e Sally Field no spa. Não poderíamos ter feito isso na 1ª temporada, porque estávamos tão relaxadas e brincalhonas e só se alcança isso com o tempo." Como é estar em uma família normal, após A Sete Palmos?Nunca achei que a família Walker fosse menos interessante por ser normal. Uma das coisas que me atraiu em Sarah foi o fato de ela ser tão fantasticamente normal! Ela é centrada, heroicamente capaz. Gosto da ideia de interpretar alguém normal e ver se consigo mantê-la interessante para o público. Como você vê as questões polêmicas abordadas na série?Acho que, no início, era muito papo político, mas os roteiristas perceberam que as pessoas são mais receptivas à política quando ela está inserida na vida dos personagens - na história do Iraque, ter um soldado na família, e um gay... Acho que isso faz com que as pessoas se apaixonem pelos personagens. Matthew (Rhys) é um ator tão rico e profundo interpretando Kevin que, mesmo que alguma pessoa tenha problemas com gays, não vai querer abandonar o personagem, pois já investiu nele. No fim da 1.ª temporada, você estava descontente com os rumos de Sarah. Como você sentiu esse 2º ano? Queria explorar os altos e baixos de um casamento, mas seria preciso haver duas temporadas para isso. Mas tenho noção de que a TV tem esse apetite por mudanças. Casamentos, romances, crianças nascendo e depois morrendo. Tudo é acelerado. Gostaria de ter ficado mais tempo casada, mas agora tenho um namorado gostosão!

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.