Efeito do CQC no Brasil atrai ‘donos’ da sigla

Cristina Padiglione/ Sem Intervalo,

08 de novembro de 2010 | 14h16

 

Dois representantes do alto escalão da Eyeworks, empresa holandesa que comprou a produtora argentina Cuatro Cabezas, são esperados hoje no auditório do CQC brasileiro. A dupla quer conhecer in loco o que leva a versão exibida pela Band a provocar efeitos tão distintos dos constatados na Argentina – país de origem da sigla, como Caiga Quien Caiga –, no Chile, em Portugal ou na Itália. Um fator excepcionalmente brasileiro é a larga audiência infantil que o programa tem aqui. Para endossar seu estudo, os holandeses terão ainda a companhia do próprio criador do CQC, o argentino Diego Guebel, que chegou ao Brasil na semana passada, motivado pelo GP Brasil de F-1.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nanny, 100 retratos de família

Não é qualquer um que alcança a proeza de chegar ao 100º programa no SBT. Chris Poli está podendo: nossa SuperNanny comemora a edição cem no próximo sábado, interferindo numa família de mãe separada que delega a seus pais, avós das crianças, a educação dos dois filhos.

 

 

 

 

140

competidores já passaram pelo Big Brother Brasil, que em 2011 chega à sua 11ª edição, expandindo assustadoramente a categoria de ‘celebridades’ tipo ‘ex-BBB’

 

 

 

"A TV encontrou a revolução digital e não sabe o que fazer com ela" Marcelo Tas, sobre a interferência da internet na audiência televisiva, na Livraria da Vila (Lorena)

 

 

 

Presidente da vez no Casseta&Planeta, como intérprete de Dilmandona, Cláudio Manoel só lamenta a vitória da petista por um aspecto: a certeza de que terá se se submeter com frequência ao desconforto causado por todo o make up da transformação.

 

"Tem a parte do botox, que repuxa muito meus olhos. Não consigo ficar meia hora com aquilo sem começar a sentir dor", contou o casseta no papo promovido sexta-feira com Marcelo Tas, Maria Paula e Guilherme Fiúza, autor do livro Bussunda, na Livraria da Vila (Lorena).

 

A morte de Saulo (Werner Shünemann) em Passione também chegou a Angola. Vista lá pelo canal Globo Internacional, a novela já motiva apostas em torno do "quem matou?’

 

Fora do ar em função dos atropelos que Copa e eleições promoveram nas grades de programação do ano, o É Tudo Improviso, com Márcio Ballas no comando, volta ao ar em janeiro, de novo com a missão de cobrir as férias do CQC.

 

O Amor nos Tempos da Aids (referência clara ao Amor nos Tempos do Cólera, de Gabriel García Márquez) é o documentário que o Discovery Home&Health programa para 1º de dezembro, dia mundial da Luta Contra a Aids.

 

Finalista ao Emmy Internacional pelo especial Dó-Ré-Mi Fábrica, da Globo, Lázaro Ramos cancelou o lançamento do seu livro, A Velha Sentada, que ocorreria no dia 21, na Biblioteca de São Paulo, para dar um pulinho em Nova York, onde os vencedores serão anunciados.

 

O feito literário de Lázaro será reagendado para dezembro.

 

Surpesinha interna, a princípio – digo, sem previsão de transmissão pela tela da TV, vem sendo ensaiada nos bastidores do SBT para festejar os 80 anos do patrao, no próximo dia 12.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.