'É bom quando te olham de maneira inesperada'

Na reta final da novela da Globo, atriz conta como entendeu sua vilã, que virou favorita do público

Alline Dauroiz, O Estado de S.Paulo

11 de janeiro de 2009 | 00h45

Com a novela que acaba na sexta-feira, Flora, a vilã surtada da trama das 9 da Globo, vivida por Patrícia Pillar, acabou por se tornar a verdadeira favorita do público: seja para odiar - sim, porque é impossível ter simpatia por todas aquelas maldades - ou para se divertir com as barbaridades que ela fala na maior cara de pau. Em uma entrevista por e-mail, a atriz contou ao Estado um pouco do que foi viver essa maluca "profundamente carente e arrogante". Está preparada para se despedir da Flora?Claro que vou sentir falta, principalmente das pessoas com as quais convivi. Bate saudade, mas também satisfação pelo trabalho realizado. Tive de abrir mão de uma convivência com a família e amigos. Agora, quero aproveitar os que eu amo.É fácil se livrar da Flora assim que acaba a cena ?Flora necessita de energia, e quando acabo de gravar, sempre fico cansada. Mas apenas isso. Quando volto para casa, volto também para meu habitual clima de suavidade.Algumas cenas suas são muito engraçadas. Já caiu na risada?O humor da Flora é muito ácido. Ela não tem freio, limite ou pudor. E é claro que, muitas vezes nós damos boas risadas.Qual cena mais te marcou?A que a Flora sai da cadeia, o sequestro da Lara (Mariana Ximenes) e a morte do Gonçalo (Mauro Mendonça).Sabia que Beijinho Doce ganhou versões remixadas e está tocando em baladas?Soube e achei muito divertido! Quais as reações do público com relação a Flora?As pessoas falam "como a Flora é má", mas sempre riem depois. Só recebi carinho. Há algo de Patrícia em Flora? Flora é meu avesso. Isso tornou o trabalho mais desafiador. É muito bom quando os autores e diretores olham para você de uma maneira inesperada, não óbvia. Você criou algo para ela?O texto do João (Emanuel Carneiro) é tão rico, que não tive vontade de criar algo fora. A única brincadeira que fiz, foi quando Flora disse que não gostava da Lara porque só via nela o jeito da Donatela (Cláudia Raia). "Tal vaca, tal vaquinha." E eu, de brincadeira, concluí: "Lara é uma Donatelinha". Você consegue justificar as maldades da personagem?Acho que nada justificaria seus atos. Para representá-la, procurei compreendê-la. Ela tem um vazio existencial, um complexo de inferioridade. Isso resultou em uma ânsia pelo poder como forma de manipulação. Flora mistura carência e arrogância.No início da novela, Ciro Gomes (deputado e marido da atriz) defendeu Flora. Ele ainda continua a defendê-la?Ele, a torcida do Flamengo e a do Corinthians a defenderam na crença de sua inocência. Agora, nem a torcida do Íbis.

Tudo o que sabemos sobre:
floraa favoritapatricia pillar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.